Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Esmorecer

06.02.24, MM
Vivemos entre o ápice e o eterno Onde os silêncios se propagam no infinito  Aguardamos serenamente aquele abraço fraterno Que nos faça esquecer o inferno Que é viver num espaço circunscrito   Rogamos aos deuses do Olímpo impiedoso A luz que nos acalenta a íntima esperança E como numa brincadeira de criança Pedimos às estrelas aquele desejo majestoso   E num ápice vemos a vida por nós passar Memória enrugadas do que nunca aconteceu Pele pálida numa alma cálida Sonhos (...)

Murais

11.12.23, MM
Eu queria encontrar O amor em todas as avenidas Porque os corpos já só se deleitaram Embriagados na voz rouca dos ardinas Já não há mais sedução Para conquistar um coração Vale o ouro da glória Vendido á tentação Mas isso é uma outra história Que já ninguém quer contar Vivem do amor escrito em murais Partilhado exaustivamente em redes sociais   Eu queria viver Um amor como nos contos de fadas Mas “fadar” virou esquema De qualquer pessoa pouco amada E quem não entra (...)

Agosto

02.08.23, MM
Hoje, apetecia-me sentir o teu doce abraçar Como quem abraça a eloquência das noites perdidas Efervescências que fazem o meu coração suspirar Noites quentes, amores ao luar Cabelos ao vento sentindo a brisa do mar Respirações ofegantes em almas despidas Histórias vividas em vielas escondidas   Hoje, apetecia-me invadir as saliências do teu corpo arrepiado Corpos entrelaçados em melodias de encantar Danças eloquentes em desejos que se querem libertar “mais duas bebidas por (...)

E a vida passou...

17.05.23, MM
Andei perdido na minha própria solidão Monotonia agreste que emergiu sem paixão E a vida passou...   Ocupei o tempo em dilemas sem solução  Preenchi os espaços num manto feito de ilusão E a vida passou...   Semeei no ardido deserto as sementes da frustração Caminhei sobre as águas do sol nascente a desilusão E a vida passou...   Assisti ao passar dos dias sem qualquer emoção Aprisionei todos os sentimentos oriundos do coração E a vida passou...   Hoje? Sou uma quimera (...)

Coisas do coração

02.04.23, MM
Escrevo razões que o meu coração desconhece Palavras envoltas na densa maresia Que me amaria? Vida minha que na passagem do tempo desvanece   São amores de outros tempos, de outros lugares Cantigas de amigo que só de amigos não se querem fazer Querem o encanto do carnal prazer Amantes ancestrais que se emaranham em outros mares   Escrevo palavras, sílabas tónicas, atónicas, platónicas Como todos os meus amores parecem ser Mas que posso eu querer Se o meu destino parece (...)

Equilíbrio

16.03.23, MM
Vamos aos poucos perdendo o equilíbrio da vida. Quando nos perguntam se estamos bem, está supostamente predefinido dizer que sim, porque é isso que as outras pessoas esperam ouvir, de forma a que cada um possa prosseguir o seu caminho, sem aquele constrangimento de não ter tempo para ouvir os dramas e os dilemas de outra pessoas, tanto mais, que todos nós já carregamos a nossa cruz. Mas muitas vezes aquele "estou bem" é o primeiro grito de um apelo mudo mas desesperado à espera (...)

Era uma vez...

12.03.23, MM
Esta é a minha história Sem Pedro e sem Inês  Trágico-comédia Sem era uma vez Ele era Miguel Ela era Maria Mas o amor que acontecera Esmoreceu um dia Mundo desmoronado Num manto de ilusão E numa vida construída Viu fugir o seu chão  Mas a vida continuou Mesmo que atormentado Renascido das cinzas  Quando o coração despertou Ele era Miguel Ela tinha nome de flor Que nos nos seus singelos campos Fez renascer um novo amor Um amor impossível Como de Pedro e Inês Difícil de esquecer Contrar (...)

Cafés

05.02.23, MM
Sempre achei que os cafés eram estabelecimentos de tramas, de dramas, de conspirações e secretas paixões. Lugares onde as histórias mais rocambolescas ganham vida para além da própria vida, uma espécie de antecâmara para os acontecimentos que ainda estão para vir, planeados meticulosamente ao pormenor. Espaços feitos de partículas omnipresentes que descodificam até os mais íntimos pensamentos, os olhares mais indiscretos, as reações mais camufladas. Muitas vezes (...)

Recomeçar

18.04.22, MM
Ficamos presos ao quotidiano Conformados com um destino há muito traçado  Acreditando piamente que tudo estava destinado… Destinado? Que engraçado! Logo que não fico conformado   Tento libertar-me do sonambulismo melancólico Que me corrói a alma dormente Pensamentos abstratos roçando o caótico Paralisando a minha mente, que mente Sorrateiramente Mas a mim não me engana, é insana Sou dono de mim, do meu destino Livre arbítrio carregado de possibilidades De novas oportunidades Timonei (...)

Envelhecer

26.03.22, MM
Vejo o tempo a passar por mim Linha temporal aproximando-me do fim… Fim??? Qual fim?  Se renasço a cada a cada madrugada  Histórias de vida tatuadas na minha pele enrugada  Forjadas em lágrimas, suor e sofrimento Batalhas épicas perdidas no esquecimento Mas não esmoreço, persisto, insisto Mais um dia, mais um ano, mais uma vida E mesmo que a luta pareça perdida Renasço tal qual fénix das cinzas ardentes Sou dono de sonhos eloquentes De amor e paixão De amizade e saudade Li (...)