Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Retrospectiva

12.06.24, MM
Olá meu amor,  Minha princesa  Menina bonita do meu coração  Minha musa de inspiração    Relembro todos os bons momentos partilhados Do teu sorriso que me fazia encantar Das promessas de ao pôr do sol caminhar  Da ânsia dos teus lábios beijar De viver o velho sonho de sermos namorados   Mas hoje desisto de ti Não por te deixar de amar Mas em retrospectiva eu penso  Que não te posso mais desencaminhar Que foste a minha mais linda história de encantar   Versos já não (...)

Agarra-te à vida

04.03.24, MM
Agarra-te à vida Com a força imaculada do nascer dos tempos E com o vigor das raízes dos Pandos ancestrais   Agarra-te à vida Aos sonhos! sem choros de dor nem lamentos Sem desistir, persistir e insistir nos felizes finais   Agarra-te à vida Aos que amas, aos que nunca te esquecem Às memórias dos sorrisos que nunca padecem   Agarra-te à vida Como pedras preciosas nas mãos de uma criança Que de simples fantasias criam momentos de esperança   Agarra-te à vida Faz correr nas (...)

Esmorecer

06.02.24, MM
Vivemos entre o ápice e o eterno Onde os silêncios se propagam no infinito  Aguardamos serenamente aquele abraço fraterno Que nos faça esquecer o inferno Que é viver num espaço circunscrito   Rogamos aos deuses do Olímpo impiedoso A luz que nos acalenta a íntima esperança E como numa brincadeira de criança Pedimos às estrelas aquele desejo majestoso   E num ápice vemos a vida por nós passar Memória enrugadas do que nunca aconteceu Pele pálida numa alma cálida Sonhos (...)

Ficarei...

14.12.23, MM
Voltarei sempre nas noites de luar Alumiando por entre as trevas o teu caminho Luminescências cintilantes quando te vais deitar Viagem pelo mundo dos sonhos em tons de azul-marinho   Regressarei sempre no chilrear dos pássaros cantantes Absorvendo as tuas lágrimas caídas em lençóis dormentes Choros sufocados de um amor ausente Vida sofrida por quem não está presente   Reaparecerei nas noites frias de inverno Quando os cobertores forem insuficientes  Serei o aconchego que (...)

Cama vazia

01.11.23, MM
Sonhei Como quem vive um sonho de encantar De quem embala num abraço apertado Sentir teu corpo quente amanhecendo ao meu lado Observando hipnotizado o teu doce despertar   Viajei Pelas curvas da tua pele que se fez arrepiada Sorriso de quem sente a chama a querer acender Corpos que se desnudam num leito feito do prazer Lençóis amarrotados numa cama imaculada   Desvendei Nas linhas da minha mão todos os teus segredos Lábios percorrendo os mistérios que se querem revelar Zonas (...)

Ternura

31.05.23, MM
  Queria percorrer os traços do teu rosto Desvendar os histórias que ele tem para contar Mas são segredos bem guardados no teu profundo olhar   Queria serenar as razões do teu desgosto Limpar os motivos que te fizeram desencantar Mas apenas observo as pedras da calçada a chorar   Queria ler os teus lábios em fogo posto O tal fogo ardente que ficou por incendiar Mas só sinto a maresia perdida nas ondas do mar   Queria amar-te nas quentes noites de agosto Levar-te ao céu, (...)

Ilusão de um amor

28.05.23, MM
Vivemos na ilusão de um amor profundo Eloquências de uma história vivida na eternidade Mistérios sagrados que nunca foram revelados Mas quando a noite cai, somes do meu mundo Fantasias desvanecem perante a atroz realidade Que só no mundo dos sonhos somos namorados   Vivemos num fogo alimentado por uma ardente paixão Corpos extasiados que se fundem tantricamente Libido orquestrados nos prazeres carnais Que sensação! Que tesão! Possuir os teus lábios molhados eternamente Fluxos, (...)

Erotismos - lábios com lábios

15.04.23, MM
Entrelaço os meus dedos nos teus dedos suados Língua desenlaçada na tua pele arrepiada Suave deslizar em segredos por desvendar Sangue que fervilha no coração em ardente paixão Que tentação! Deixar a alma do desejo vaguear sob o teu corpo desnudado E a lua? Sussurra-me que estás de alma nua Luz lunar desvendando os caminhos que devo traçar Trilhos percorridos em leviandade Contorcionismos ritmados na tua sensualidade   Lábios com lábios  Língua com língua Beijar, (...)

Primavera!

21.03.23, MM
Soam os rufos dos tambores celestiais  Abrem-se as alas aos ventos renascentes Brisas quentes trazendo coloridos ancestrais Brinda-se à chegada dos pássaros valentes   Frenesim de quem fecha os olhos e sente no coração Esperanças renascidas cultivadas na terra nua Noites amenas despertando a paixão Uivos ecoados honrando a sedutora lua   Alegram-se os dias, toldam-se as vontades Roupas caindo brindando à liberdade Brotam da terra aromas emaranhados em leviandades  Libertam-se (...)