Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Poesia de ti

15.06.24, MM
Fui poesia de ti Que nunca soubeste ler Foram apenas cantigas de amigo De escárnio e maldizer E eu só queria as cantigas do teu amor  Mas nem isso consegui escrever  Sílabas esvoaçantes em papiros dourados Versos perdidos em ventos rasgados Simbiose carregada de dor…   Foste poesia de mim  Cantos que no encanto me perdi Sílabas afónicas  Manto do que eu senti Escritas neste frenesim  Fantasiadas em lençóis de cetim Mas que eu nunca vivi Meras quimeras crónicas    Fomos (...)

Dilemas e poemas

17.03.24, MM
Sou feito de poemas Retratos de uma vida passada Memórias à beira da autoestrada A ver a vida passar   O caminho está tão perto De me salvar da minha salvação Mas estou preso ao coração  De quem não sabe se há de ir ou ficar   E assim prossigo entre poemas Caminhos trilhados entre dilemas Sentimentos enclausurados há muito tempo Fragmentos de mim  Pensamentos envolvidos em lençois de cetim Fantasias que nunca passaram de um contratempo    Embriago-me em mais um poema Sí (...)

Noite

19.11.23, MM
Carrego na noite densa as ânsias ancestrais Murmúrios de uma alma em constante trepidação Questiono o universo desta minha agitação Mas sem solução Viajo nas minhas lembranças imemoriais   Sigo os trilhos dos meus pensamentos E em segredo vou escutando os meus lamentos Ecos de um passado que ficou por viver Densa maresia que ofusca o meu olhar Serão lágrimas? Serão gotas do mar? Serão apenas as estrelas a chorar?   A noite adensa-se na sua longitude As luzes da cidade (...)

Contratempo

03.07.23, MM
Percebes que haverá sempre um contratempo Para quem és apenas um passatempo  Que não sente em si a saudade Nem tão pouco a vontade De se perder nos teus braços De sentir no seu corpo os teus amassos   Serás sempre um contratempo Uma história que alguém nunca irá escrever Página em branco amarrotada em desculpas De quem nem tão pouco sente as culpas De saber que está a fazer sofrer   Vives na eterna desculpa do contratempo Do cansaço, do embaraço,  De quem passa o tempo a adiar (...)

Lágrimas

09.06.23, MM
Em quantas camas terás ainda que dormir Para perceberes que não são feitas de sentimentos São meros aconchegos imaginários que um dia te farão partir Areias movediças onde afogas os teus lamentos   Quantas lágrimas terá o teu rosto que derramar Num coração amargurado que não pára de sangrar Sonhos desfeitos ecoados no teu olhar Quimeras perdidas de quem apenas desejava amar   Em quantos corpos terás ainda que tocar Quantas bocas terás ainda que beijar Quantos orgasmos (...)

Ilusão de um amor

28.05.23, MM
Vivemos na ilusão de um amor profundo Eloquências de uma história vivida na eternidade Mistérios sagrados que nunca foram revelados Mas quando a noite cai, somes do meu mundo Fantasias desvanecem perante a atroz realidade Que só no mundo dos sonhos somos namorados   Vivemos num fogo alimentado por uma ardente paixão Corpos extasiados que se fundem tantricamente Libido orquestrados nos prazeres carnais Que sensação! Que tesão! Possuir os teus lábios molhados eternamente Fluxos, (...)

Não me procures

28.04.23, MM
Não me procures na decência que quem perdeu a essência de quer amar Somos retalhos perdidos, barcos tingidos a fugir das ondas do mar Silêncios profundos ecoados na densa maresia e quem diria Que me afundei nas areias movediças que tatuavam o teu nome no meu coração E eu sem noção, fui perdendo o chão   Não me procures nas histórias escritas nas entrelinhas das águas salgadas Refluxos que em redemoinhos apagaram nossos pergaminhos Quadros pintados em tons de pastel Menina (...)

Perdoa-me

27.04.23, MM
Desculpa se não te estou a falar Mas dói demais a tua ausência Alma cortada quando chega a nortada E na noite escura brilha em mim a tua essência Que não me deixa adormecer Que me impede de te esquecer   Perdoa-me se as minhas mensagens não chegam ao destino Escrevo, apago, sem coragem de as enviar São as mais belas palavras saídas do coração Mas fico-me pelo meu desatino Lágrimas que no rosto não querem secar Sentimentos puros de amor e paixão   Desculpa, se eu tiver que (...)

Palavras singelas

16.04.23, MM
diz-me o que entendes por amor que de amor eu não entendo nada aguardo a chegada da noite escura  mas só ouço o silêncio da madrugada e ela apenas mostra-me a dor que no tempo grava e perdura   fala-me dos teus singelos sentimentos das tuas tardes passadas à beira-mar a ouvir os conselhos que ele tem para te dar são apenas maresias envolta em dias cinzentos que invadem o meu dia mundano palavras projetadas num tempo insano   confessa-me os teus amores antigos paixões (...)

Equilíbrio

16.03.23, MM
Vamos aos poucos perdendo o equilíbrio da vida. Quando nos perguntam se estamos bem, está supostamente predefinido dizer que sim, porque é isso que as outras pessoas esperam ouvir, de forma a que cada um possa prosseguir o seu caminho, sem aquele constrangimento de não ter tempo para ouvir os dramas e os dilemas de outra pessoas, tanto mais, que todos nós já carregamos a nossa cruz. Mas muitas vezes aquele "estou bem" é o primeiro grito de um apelo mudo mas desesperado à espera (...)