Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Mãe

17.05.23, MM
* Tinha este post preparado para o dia da mãe... mas no fundo, todos os dias são bons para ser dia da mãe!   Mãe é mãe, independentemente de ser biológica ou de coração, de estar casada, solteira ou inserida numa nova família, de ter a oportunidade de estar sempre presente ou estar longe por força das circunstâncias. Mãe é mãe, ontem, hoje e todos os restantes dias do ano. Mãe é mãe, seres com um coração infinito num amor incondicional em prol da felicidade dos filhos. M (...)

Palavras singelas

16.04.23, MM
diz-me o que entendes por amor que de amor eu não entendo nada aguardo a chegada da noite escura  mas só ouço o silêncio da madrugada e ela apenas mostra-me a dor que no tempo grava e perdura   fala-me dos teus singelos sentimentos das tuas tardes passadas à beira-mar a ouvir os conselhos que ele tem para te dar são apenas maresias envolta em dias cinzentos que invadem o meu dia mundano palavras projetadas num tempo insano   confessa-me os teus amores antigos paixões (...)

Erotismos - lábios com lábios

15.04.23, MM
Entrelaço os meus dedos nos teus dedos suados Língua desenlaçada na tua pele arrepiada Suave deslizar em segredos por desvendar Sangue que fervilha no coração em ardente paixão Que tentação! Deixar a alma do desejo vaguear sob o teu corpo desnudado E a lua? Sussurra-me que estás de alma nua Luz lunar desvendando os caminhos que devo traçar Trilhos percorridos em leviandade Contorcionismos ritmados na tua sensualidade   Lábios com lábios  Língua com língua Beijar, (...)

Inseguranças

12.04.23, MM
  Habitam em mim inseguranças que não consigo controlar Sentimentos aprisionados que gostaria de os declarar Mas a timidez não me deixa avançar São aquelas coisinhas que mexem com o coração Que nos deixam indecisos se estamos no inverno ou no verão Suspiros sufocantes Ânsias exaltantes Vida feita de nós Que não consigo desatar E então nós? Queria envolver-te no meu abraço Apertado, mas sem apertos no coração Prender-te com um laço Amarras feitas de paixão Frio na (...)

Contemplar

12.04.23, MM
Contemplo no horizonte a passagem do tempo solar Dia que amanhece, dia que desvanece E é só mais um dia em que nada acontece   Contemplo nos segredos da noite o manto estrelar Desígnios escritos num papiro que lentamente envelhece Pensamentos aleatórios numa alma que se entristece   Contemplo o lusco-fusco absorvendo as ondas do mar Vazios ocultos num coração que solitariamente padece Gritos mudos que num silêncio sepulcral prevalece   Contemplo tudo aquilo que não posso contemplar (...)

Coisas do coração

02.04.23, MM
Escrevo razões que o meu coração desconhece Palavras envoltas na densa maresia Que me amaria? Vida minha que na passagem do tempo desvanece   São amores de outros tempos, de outros lugares Cantigas de amigo que só de amigos não se querem fazer Querem o encanto do carnal prazer Amantes ancestrais que se emaranham em outros mares   Escrevo palavras, sílabas tónicas, atónicas, platónicas Como todos os meus amores parecem ser Mas que posso eu querer Se o meu destino parece (...)

Amor e poesia

22.03.23, MM
Dizem que há um dia para a poesia Mas poemas eu não sei escrever São sílabas esvoaçantes roçando a heresia Palavras que não ouso te dizer   Queria sentir a minha poesia a correr dentro de ti Vogais projectadas em fonéticas arrepiantes Prosas líricas em semânticas estonteantes Percorridas nas linhas do teu corpo suado Curvas onde queria me perder extasiado Mas falta-me a métrica para te conquistar Decassílabos, monossílabos Emparelhadas, alternadas Mas afinal quem quer saber (...)

Perdoem-me...

21.02.23, MM
Perdoem-me se amei em demasia Na ânsia de também querer ser amado Fiz da minha vida uma fantasia Delírios de um amor sonhado   Perdoe-me se me preocupei quando não devia De tanto querer proteger, cuidar e amar Fiquei perdido na densa maresia À espera que alguém me viesse salvar   Perdoe-me se não consegui dar-vos o céu E se apenas viram em mim a noite breu  Se não consegui oferecer-vos as estrelas ou a lua Se apenas vos mostrei o jardim no fundo da rua   Perdoe-me se não vos (...)

Delírios eróticos

15.02.23, MM
Flutuo suavemente pelo inesperado Onde onde me envolvo na névoa imaginária Cenários feitos de nuvens de algodão Que sensação! Penetrar nos desejos de uma alma incendiária Consumida pelo fogo da paixão Vivências cometidas no pecado   Continuo mais um pouco no meu delírio hipnótico Perdido nas curvas imaginadas do teu corpo desnudado Olho o céu e já está aluado E eu completamente excitado De tanto querer o teu toque carinhoso Surfando nas ondas da minha pele arrepiada E eu (...)

Casa na aldeia

02.02.23, MM
Um dia arranjarei uma casa na aldeia Com um alpendre com vista para o mar Chorarei na minha viola o meu amor por ti Versos sentidos de quem te quer amar   Um dia arranjarei uma casa na aldeia Com um baloiço com vista para a serra Serás rosa dos meus campos a florir Sementes brotando na abundante terra   Um dia arranjarei uma casa na aldeia Com uma sacada feita de lençóis de cetim Pecados cometidos em noites de luar Intimidades partilhadas do nosso jardim   Um dia arranjarei uma (...)