Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Caos

06.11.21, MM
Na minha tempestade eu acordei o vento E no meio da saudade eu parei o tempo Eternizei-o numa caixa de pandora E sem tempo, esqueci-me de viver “o agora”   Despertei fúrias exorcizadas em sentimentos ocos Perdi-me em estradas de encruzilhadas tresloucadas Gritei aos sete ventos na terra dos loucos Palavras atormentadas em dizeres taralhoucos   Desmaiei sobre a terra batida, abatida, tingida O meu corpo, a minha alma, a minha força de viver Deixei-me consumir pelas trevas delirantes Desafi (...)

Momentos de solidão

23.10.21, MM
Pressinto na brisa eletrizante a tempestade a chegar Nuvens aglomeram-se como guerreiros desafiadores Trespassando as altas montanhas com se fossem gladiadores Pequenos remoinhos fazem as folhas vibrar E as afoitas formigas correm, correm sem parar Sabem os segredos do tempo, sabem bem o que se vai passar E eu, contemplo o avermelhado majestoso do céu Que em breve estará coberto do negro véu   A noite escurece no silêncio temerário da solidão  Onde as brumas do deserto invadem o (...)

A carta que nunca pensei te escrever

05.10.21, MM
  Cai mais uma lágrima sobre o papel já molhado Nesta carta que entre soluços te estou a escrever Embalado na melodia da música que era a nossa vez E no entanto, hoje, só queria perder a sensatez Aparecer à janela do teu quarto apenas para te ver Mas não posso, estás inacessível Um amor proibido e no entanto, inesquecível   Foste luz na minha vida quando estava assombrada Nuvens afugentadas com o teu sorriso iluminado Confidente, amiga, só não foste a minha namorada E neste (...)

Aconchego Outonal

29.09.21, MM
  Na melancolia dos dias que agora passam Finda o entardecer sob as folhas caídas Esvoaçando alegremente levam ternas lembranças Embaladas nas brisas outrora quentes e que agora se esfumaçam Terminando em delírio nas mãos das sorridentes crianças   As graciosas árvores perdem o seu pudor E folha-à-folha vão ficando completamente despidas Cenários perfeitos encantados em cores garridas Tintas desvairadas que na tela são domadas pelo seu criador Numa obra prima carregada de (...)

Tudo eu julguei

28.09.21, MM
Julguei as estrelas que me amparavam nas noites sombrias Sem saber que o faziam Julguei a lua por me inspirava na inércia da minha escrita Murmúrios que eu pensava que ali jaziam  Julguei os rios por estarem tão frios Mas eram apenas reflexos gélidos que em mim adormeciam   Julguei as forças cósmicas, culpei o cupido  Setas de uma amor envenenado que cultivavam o meu jazido Julguei as bruxas, os druidas,  as feiticeiras   Amaldiçoado o fogo das suas fogueiras Julguei os (...)

E a vida passou...

12.09.21, MM
  Deixei passar as águas do rio sem nunca as abraçar Contemplei no infinito as estrelas sem nunca as desenhar Corri contra o vento sem nunca o atravessar E hoje, lembro-me das sementes que me esqueci de cultivar   Passou por mim o tempo a correr Desvaneceu-se no ar parte do meu ser Lembranças perdidas em cada amanhecer Palavras sentidas de uma boca a tremer   Tudo na vida eu vi passar Passagens do tempo que no meu corpo ficaram tatuadas Esquecimentos, alentos, sofrimentos Alegrias, (...)

Penso em mim, penso em ti, penso em nós

02.09.21, MM
    Mergulho nas densas manhãs submersas Penso em mim, penso em ti, penso em nós Promessas trocadas em loucas conversas Toques na alma embalando o suave adormecer Lembranças eternizadas nos momentos a sós  E nós, ousando um amor proibido viver   Sinto saudades de mim, de ti, de nós  Secretos desejos vividos num mundo atroz  Perdidos na infinidade do tempo latejante Ora felicidade, ora agonia, ora saudade Sentimentos feridos num vento cortante Abafando o grito da minha voz   A (...)

Meu caminho...

23.08.21, MM
Caminho solitário sobre as pedras que me encantam Calçada entrelaçada que por mim foi chorada Lágrimas doces que os meus olhos decantam Melodias embaladas no reflexo do teu terno olhar Ânsias eloquentes, ardentes Aguardando aquele singelo momento dos teus lábios beijar   Assim passo os meus dias intermináveis Navegando sobre sonhos de mundos admiráveis Declamo por entre-linhas letras de poetas afamados Palavras malditas escritas em papiros enfeitiçados Dores austeras em (...)

Amor ou amizade

16.08.21, MM
Por vezes a amizade vira amor Por vezes o amor vira amizade Como distinguir um e outro  Se ambos vivem da saudade?   Talvez as borboletas já não esvoacem E o frio na barriga desapareça Talvez os corações no ar se esfumacem Num amor condenado à nascença   Linha ténue e mal delineada Que no coração causa confusão Sentimentos que vivem na ansiedade Temendo acabar na solidão Às mãos da pessoa amada   Amor, amizade, dor, saudade Quem ama sente, dizem os eruditos Mas sente o quê? (...)

Longa se torna a espera

13.05.21, MM
Longa se torna a espera Que insiste em desesperar Por um momento tonto Feito ilusão, feito quimera Não é história, não é conto É uma alma a definhar   Longa se torna a espera Dos dias que insistem em não passar Das nebulosas noites sem luar Dos “ses” e dos “quem me dera” Sonhos que não viram realidade Corações que ficam na saudade   Longa se torna a espera Prenúncios de uma vida austera Olhar o oceano sem sentir o cheiro a mar Chuva que cai sem saber se está a molhar Primave (...)