Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Amor ou amizade

22.06.22, MM
Pode a amizade esconder um amor Sentimentos vividos entre o frio e o calor Perder-se no vácuo sem saber a razão Palpitações, arritmias, coisas do coração Pode o amor ser apenas amizade Viver o dia-a-dia sem saber o que é a saudade Relações feitas sem grandes emoções Procriar sem conjugar o verbo amar Podem o amor e a amizade viver em harmonia Corpos entrelaçados na mesma sintonia Abraçar em silêncio quando o mundo quer desabar Segurar as lágrimas quando se tem vontade de chorar (...)

Pauta musical

09.06.22, MM
Solto os acordes que prendem-me à vida Dedilhados em choros de melodias teimosas São lágrimas que no coração perfuram Sentimentos perdidos de uma vida sentida Entrelaçados nas cordas de tardes chuvosas Sonidos aleatórios que no tempo perduram   Viajo nas intermitências de uma pauta musical Caminhos tortuosos que me levam à tua essência Rendo-me aos encantos do canto primordial E no despir da alma, perco a decência Que eloquência  Visões extraordinárias perpetuadas no meu olhar (...)

Esquecimento

15.05.22, MM
Fiquei esquecido nas memórias do esquecimento Em claustros sombrios numa alma dormente Labirintos anestesiados com o meu tormento E por ali vagueio, solitariamente Um dejavu, uma quimera Inverno que nunca será Primavera  Memória austera Que ninguém quer lembrar, esquecer Lembrança penada que teima em não desaparecer   Fiquei esquecido na memória do esquecimento Partículas fragmentadas lançadas ao vento Aguardando a chegada do nosso tempo Que nunca aconteceu, esmoreceu E perdido (...)

Recomeçar

18.04.22, MM
Ficamos presos ao quotidiano Conformados com um destino há muito traçado  Acreditando piamente que tudo estava destinado… Destinado? Que engraçado! Logo que não fico conformado   Tento libertar-me do sonambulismo melancólico Que me corrói a alma dormente Pensamentos abstratos roçando o caótico Paralisando a minha mente, que mente Sorrateiramente Mas a mim não me engana, é insana Sou dono de mim, do meu destino Livre arbítrio carregado de possibilidades De novas oportunidades Timonei (...)

Ela é prosa, eu sou poesia

03.04.22, MM
Ela é prosa Escrita entrelaçada numa pauta melodiosa Mundos imaginários, coisas do coração Enredos que ganham vida de forma harmoniosa Animismos ou personificação Paradoxos sem comparação Narrativas vividas no desconhecido Talvez do além E eu deslumbrado como ninguém Ela domina a arte Eu, pareço que venho de Marte Ela é prosa Eu sou poesia Brisa do mar onde tudo é fantasia Palavras tontas com que tento rimar Delineando sentimentos que não consigo ocultar Em estado puro, (...)

Caminhar

06.03.22, MM
  Não insisto mais na ânsia de te procurar Segue o teu caminho, a vida faz-se a caminhar Também eu caminharei, sozinho Mas no coração, sempre te guardarei com carinho   Letras solução dentro de mim Palavras que mal consigo pronunciar São sentimentos aflitos, escondidos Frases esborratadas num qualquer banco do jardim Que nem o tempo consegue apagar E eu aqui, assim Perdido em volúpias de um toque ausente Lua minguante que nunca será crescente Sílabas que nunca (...)

Caos

06.11.21, MM
Na minha tempestade eu acordei o vento E no meio da saudade eu parei o tempo Eternizei-o numa caixa de pandora E sem tempo, esqueci-me de viver “o agora”   Despertei fúrias exorcizadas em sentimentos ocos Perdi-me em estradas de encruzilhadas tresloucadas Gritei aos sete ventos na terra dos loucos Palavras atormentadas em dizeres taralhoucos   Desmaiei sobre a terra batida, abatida, tingida O meu corpo, a minha alma, a minha força de viver Deixei-me consumir pelas trevas delirantes Desafi (...)

Momentos de solidão

23.10.21, MM
Pressinto na brisa eletrizante a tempestade a chegar Nuvens aglomeram-se como guerreiros desafiadores Trespassando as altas montanhas com se fossem gladiadores Pequenos remoinhos fazem as folhas vibrar E as afoitas formigas correm, correm sem parar Sabem os segredos do tempo, sabem bem o que se vai passar E eu, contemplo o avermelhado majestoso do céu Que em breve estará coberto do negro véu   A noite escurece no silêncio temerário da solidão  Onde as brumas do deserto invadem o (...)

A carta que nunca pensei te escrever

05.10.21, MM
  Cai mais uma lágrima sobre o papel já molhado Nesta carta que entre soluços te estou a escrever Embalado na melodia da música que era a nossa vez E no entanto, hoje, só queria perder a sensatez Aparecer à janela do teu quarto apenas para te ver Mas não posso, estás inacessível Um amor proibido e no entanto, inesquecível   Foste luz na minha vida quando estava assombrada Nuvens afugentadas com o teu sorriso iluminado Confidente, amiga, só não foste a minha namorada E neste (...)

Aconchego Outonal

29.09.21, MM
  Na melancolia dos dias que agora passam Finda o entardecer sob as folhas caídas Esvoaçando alegremente levam ternas lembranças Embaladas nas brisas outrora quentes e que agora se esfumaçam Terminando em delírio nas mãos das sorridentes crianças   As graciosas árvores perdem o seu pudor E folha-à-folha vão ficando completamente despidas Cenários perfeitos encantados em cores garridas Tintas desvairadas que na tela são domadas pelo seu criador Numa obra prima carregada de (...)