Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Abraço

06.09.23, MM
Queria fazer do teu abraço a minha morada Levar-me ao céu, chamar-te de minha amada Permanecer dentro de ti, assim Fazendo amor em lençóis de cetim E depois, abraçar-te, amar-te Permanecer em ti, em mim Aguardando na noite o fim Da espera, e quem me dera Recomeçar Regressar à madrugada Chamar-te de minha amada Reiniciar Renascer Voltar a viver Este amor em ti, sem fim Renascidos num abraço Desatar os nós, fazer um laço Reunir todos os pedaços Reconstruir o coração Sentir a (...)

Primavera!

21.03.23, MM
Soam os rufos dos tambores celestiais  Abrem-se as alas aos ventos renascentes Brisas quentes trazendo coloridos ancestrais Brinda-se à chegada dos pássaros valentes   Frenesim de quem fecha os olhos e sente no coração Esperanças renascidas cultivadas na terra nua Noites amenas despertando a paixão Uivos ecoados honrando a sedutora lua   Alegram-se os dias, toldam-se as vontades Roupas caindo brindando à liberdade Brotam da terra aromas emaranhados em leviandades  Libertam-se (...)

Renascer

22.12.22, MM
  E do silêncio se fez grito quando a minha alma se dilacerou Tormentos sofridos em prantos de traição Sentimentos enterrados escondendo a solidão Sonho encantado que um dia se desmoronou Mas a vida continuou   Bati de frente com um novo amor Frio na barriga, borboletas a esvoaçar Noites inteiras imaginando um novo luar Pétalas perfumadas de uma nova flor  Mas foi apenas um sonho de encantar   Renasci em amores do antigamente Químicas e físicas explodindo de prazer Memórias (...)

Deixar ir

04.12.22, MM
Naquele jardim há uma árvore, imponente, viçosa, como os seus ramos verdes, como se fossem longos braços estendidos, agradecendo ao sol pela dádiva da vida. Faz porto de abrigo para os passarinhos que ali cochicham animadamente, em rituais de sedução e de acasalamento. Faz sombra para os caminhantes que ali descansam antes de prosseguirem as suas jornadas. Mas é no aconchego da noite que é cúmplice e conhecedora dos mais íntimos segredos,  onde os amantes ali se encontram às (...)

Passageiros

13.01.22, MM
Somos passageiros de um tempo que não passa Prisioneiros no tempo que por nós já passou Perdidos na escrita da nossa própria farsa Chorando tristemente por quem um dia nos abandonou   Contemplamos impávidos e serenos as marcas do rosto Lágrimas tatuadas por quem um dia partiu, que não ficou Mágoas amealhadas num coração em desgosto Frio gélido em pleno mês de agosto E eu aqui, agarrado ao ínfimo que me restou   Somos passageiros de um tempo que não passa Saindo a (...)

Caos

06.11.21, MM
Na minha tempestade eu acordei o vento E no meio da saudade eu parei o tempo Eternizei-o numa caixa de pandora E sem tempo, esqueci-me de viver “o agora”   Despertei fúrias exorcizadas em sentimentos ocos Perdi-me em estradas de encruzilhadas tresloucadas Gritei aos sete ventos na terra dos loucos Palavras atormentadas em dizeres taralhoucos   Desmaiei sobre a terra batida, abatida, tingida O meu corpo, a minha alma, a minha força de viver Deixei-me consumir pelas trevas delirantes Desafi (...)

Em ti renascer

08.04.21, MM
Houve um tempo em que era mar Altivo, soberbo, majestoso Força da natureza, virtuoso Sedutor, charmoso Hoje sou maresia Serenidade e poesia Envolto na minha própria fantasia   Talvez seja poeira Pólen de flores em esquecimento Paradas no tempo, perdidas no momento Em que de mim fugiste, partiste Talvez seja fumaça de uma fogueira extinta Velho comboio que já não tilinta Uma moldura de um quadro já sem tinta   Mas onde estou eu no teu pensamento? Que lugar ocupo no teu coração  Sere (...)

aqui vou eu outra vez

25.02.21, MM
  1,2,3 aqui vou eu outra vez   caio, levanto e prossigo ainda não é desta que escrevem no meu jazido e mesmo que ao longe pressinta o perigo avanço destemido sem receio do inimigo   1,2,3 aqui vou outra vez   percorro caminhos de antigos guerreiros perpetuados nas estrelas valentes timoneiros memórias vivas que não me deixam cair que me fazem regressar quando quero partir e mesmo quando quero abalar, chorar ouvem os meus lamentos, tormentos sentimentos difíceis de explicar   (...)