Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Casa na aldeia

02.02.23, MM
Um dia arranjarei uma casa na aldeia Com um alpendre com vista para o mar Chorarei na minha viola o meu amor por ti Versos sentidos de quem te quer amar   Um dia arranjarei uma casa na aldeia Com um baloiço com vista para a serra Serás rosa dos meus campos a florir Sementes brotando na abundante terra   Um dia arranjarei uma casa na aldeia Com uma sacada feita de lençóis de cetim Pecados cometidos em noites de luar Intimidades partilhadas do nosso jardim   Um dia arranjarei uma (...)

Acanhamento

22.01.23, MM
E se aceitasses o meu convite desajeitado Quem sabe para jantar ou um passeio á beira mar Talvez alinhasses tudo o que em mim está desalinhado E por artes mágicas consertasses um coração desamparado Que apenas tem o desejo de amar De se encantar numa noite ao luar De sentir na alma o doce sabor de um beijo De segredar ao teu ouvido este secreto desejo De ser feliz De fazer alguém feliz   E se fôssemos aquele concerto de canções de amor Nós dois, dançando juntos, partilhando o (...)

Sonho

21.01.23, MM
Perco-me na tua beleza que me prende o olhar Vaga-lumes cintilantes que me deixam aluado, suspirado E eu, só queria estar ao teu lado   Moves-te no meu pensamento sensualmente  E eu observo-te maravilhado feito menino adolescente Enfrentando timidamente o seu primeiro amor Ai que calor!   Tento disfarçar o indisfarçável Palpitações alucinantes em batimentos estonteantes E eu hipnotizado com o teu sorriso Vagueio sem saber onde tenho o juízo   Viajo pelos teus cabelos esvoaçantes Fei (...)

Entre estações

14.01.23, MM
Não me procures nos dias frios de inverno Se em ti não houver chama que eu possa acender Nem dos dias quentes de verão Se o meu toque não fizer a tua pele arrepiar Procura-me quando a minha saudade em ti bater Sufocos ritmados de um coração a palpitar Na ânsia urgente dos meus lábios beijar   Não me procures na ilusão das quentes cores outonais Nem nas sedutores tardes primaveris  Onde os passarinhos cochicham coisas banais E as minhas poesias são apenas palavras triviais Pro (...)

Prisioneira de ti

10.01.23, MM
Vives prisioneira dos teus medos Das tuas angústias Do teu sofrer Acorrentada ao que não queres viver   Vives atormentada por erros do passado Vivências loucas num tempo acabado E hoje, a paixão é apenas uma ilusão E o amor? Miragem perpetuada na tua dor   Vives prisioneira de um corpo que não quer ser tocado No secreto desejo de ser libertado Ousadias, fantasias, noites em orgias Com o teu amado Que não podes ter Frustrações que te fazem sofrer   Vives prisioneira de um (...)

Musa de inspiração

08.01.23, MM
A minha poesia já não flui Os meus versos não querem rimar Pareço uma sombra do que um dia já fui Procurando uma musa que me faça inspirar Mas teimo, renasço e volto a acreditar Perdido em melodias de encantar Que me façam esquecer a dor Voltar a acreditar no amor Trilhando de mãos dadas os campos floridos Envolvidos em contos de fadas adormecidos Eu príncipe, tu Cinderela Fiona e  Shrek Que importa, que interessa E no meu sorriso, quero apenas lembrar-me do quanto és bela   (...)

Metaforas

31.12.22, MM
Dizem que as minhas poesias são metáforas Balas disparadas em qualquer direção Palavras vadias perdidas em anáforas Mas o que é que sabem eles das coisas do coração   Escrevo sentimentos que me fluem da alma Melodias de desejos perdidos numa noite de luar Mas calma Que é assim que eu te quero Perder-me no teu beijo sincero Demorado, apaixonado Conjunções retiradas da tua respiração ofegante Que pedante! Dizem as alforrecas de quintal Que apenas sabem dizer mal Mas “os (...)

Somente eu

29.12.22, MM
Já tentei escrever nas linhas do destino o poema perfeito Implorando aos céus para que fosse eu o teu eleito Mas os meus versos não tocaram no teu coração    Já tentei desvendar os segredos da alquimia do amor Transformar em alegria o que era a tua dor Mas a metamorfose era feita apenas de ilusão   Já tentei entender a infindável leveza do ser Entrar no teu mundo para melhor te conhecer Mas fizeste das portas da tua alma a minha prisão   Já desejei preparar-te um jantar à (...)

Renascer

22.12.22, MM
  E do silêncio se fez grito quando a minha alma se dilacerou Tormentos sofridos em prantos de traição Sentimentos enterrados escondendo a solidão Sonho encantado que um dia se desmoronou Mas a vida continuou   Bati de frente com um novo amor Frio na barriga, borboletas a esvoaçar Noites inteiras imaginando um novo luar Pétalas perfumadas de uma nova flor  Mas foi apenas um sonho de encantar   Renasci em amores do antigamente Químicas e físicas explodindo de prazer Memórias (...)

Ilusão

14.12.22, MM
Quando a noite cai feita de exaustão Corpo moribundo sem qualquer reação Olhos esbugalhados num semblante pesado Memórias fatigadas de mais um dia passado   Mergulho na minha cama vazia e imaculada Ausências de uma história nunca vivenciada  Corpo morno embrulhado em lençóis de flanela Mentiras iludidas nos contos da Cinderela E eu, só penso nela Aqui ao meu lado, deitada serenamente Olhar hipnotizante, sorriso estonteante Suave toque debaixo de um fogo ardente   Quando a (...)