Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Palavras perdidas

01.04.24, MM
Escrevo nas entrelinhas da alma Sentimentos oriundos do coração E como um bom vinho que se degusta com calma Doo o corpo à liberdade Serenidade, libidinosidade Aromas despertados ao sabor da paixão Numa noite ao luar Numa cama feita de areia do mar   Deixo fluir a tinta em papiros encantados Sílabas estonteantes em corpos enfeitiçados Eloquências perdidas no teu terno olhar Que um dia me fez encantar Sonho adormecido perdido no teu sorriso Fazendo a minha pele arrepiar E no meu (...)

Poesia primaveril

27.03.24, MM
Sinto na minha poesia o aroma primaveril Flores que brotam em cada verso E no encanto do inverso Sinto o coração a palpitar   Pássaros que regressam ao seu eterno lar Prenúncios escritos em histórias de encantar E em cada amanhecer Há um novo rescancer De um novo verso a declamar De amor, pois claro! Que a vida por vezes é feita de dor Mas o que escrevo, versa o verbo amar!   Sinto o sangue a fervilhar em cada poema Perfume exótico que paira no ar Borboletas no estômago virando (...)

No meu canto

29.12.23, MM
E no meu canto eu canto o encanto que me fez encantar Sou força de um tornado embalado na brisa do mar Que um dia se perdeu no teu olhar Terno, meigo, sedutor Que á primeira vista se tornou amor   E no meu canto eu planto as sementes que se querem enraizar Fruto proibido que um dia ousei amar Toque no rosto, suspiro, pele a arrepiar Corpo ardente, quente Ensejos dos teus lábios beijar   E eu no meu canto suspiro, deliro, uivo ao luar Agradeço em verso ao universo que me fez te encontrar Es (...)

Lágrimas

09.06.23, MM
Em quantas camas terás ainda que dormir Para perceberes que não são feitas de sentimentos São meros aconchegos imaginários que um dia te farão partir Areias movediças onde afogas os teus lamentos   Quantas lágrimas terá o teu rosto que derramar Num coração amargurado que não pára de sangrar Sonhos desfeitos ecoados no teu olhar Quimeras perdidas de quem apenas desejava amar   Em quantos corpos terás ainda que tocar Quantas bocas terás ainda que beijar Quantos orgasmos (...)

Ternura

31.05.23, MM
  Queria percorrer os traços do teu rosto Desvendar os histórias que ele tem para contar Mas são segredos bem guardados no teu profundo olhar   Queria serenar as razões do teu desgosto Limpar os motivos que te fizeram desencantar Mas apenas observo as pedras da calçada a chorar   Queria ler os teus lábios em fogo posto O tal fogo ardente que ficou por incendiar Mas só sinto a maresia perdida nas ondas do mar   Queria amar-te nas quentes noites de agosto Levar-te ao céu, (...)

Olhos castanhos

16.07.22, MM
  Um dia seremos meros estranhos Sentados numa paragem de autocarro Vais ignorar os meus olhos castanhos Que um dia tanto quiseram-te amar E que hoje, são apenas memórias de barro   Um dia seremos meros estranhos Passeando numa qualquer avenida Corpos ignorando antigos desejos Vivências esquecidas de profundos latejos Guardados no fundo de uma arca esquecida   Um dia seremos meros estranhos  Vagueando num areal junto ao mar Corpos desnudados libertando erotismo Paixão ardente sem (...)