Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Ilusão

14.12.22, MM
Quando a noite cai feita de exaustão Corpo moribundo sem qualquer reação Olhos esbugalhados num semblante pesado Memórias fatigadas de mais um dia passado   Mergulho na minha cama vazia e imaculada Ausências de uma história nunca vivenciada  Corpo morno embrulhado em lençóis de flanela Mentiras iludidas nos contos da Cinderela E eu, só penso nela Aqui ao meu lado, deitada serenamente Olhar hipnotizante, sorriso estonteante Suave toque debaixo de um fogo ardente   Quando a (...)

Simples amigo

20.11.22, MM
Há histórias que um dia ficaram por contar Desejos de beijos que não chegaram a acontecer Sentimentos enclausurados por revelar Esperanças renovadas num novo amanhecer   Deixa o manto da noite te aconchegar Sonhos que o coração deseja viver Embriagados no néctar dos deuses Embalados em melodias de encantar Relaxa, vou-te preparar o jantar Luz das velas, lareira acesa É hora de brindar Corpos entrelaçados neste sentimento Eloquências de quem quer amar De alma, de coração Viver (...)

Não me leias

25.09.22, MM
Não me leias nas entrelinhas Ondas sonoras provocando o vazio Enlaces escritos em  límpidas estrelinhas Futuro revelado nas areias do mar bravio   Não me leias quando o sol se deita E a noite surge da minha alma embriagada São desejos proibidos onde a língua se deleita Prazeres inconfessáveis na tua cama deitada   Não me leias na sina da minha mão são traços envoltos nas curvas da tua cintura Linhas projetadas dos lábios ao coração Fervilhando arrepios de paixão e ternura   (...)

Silêncios

03.02.22, MM
Silêncios Murmúrios gritantes de uma alma revoltada Sentimentos perpetuados numa noite de luar Choros desassossegados pela pessoa amada Rasgando compulsivamente do dicionário o verbo amar   Silêncio! Que se cale a voz emanada do coração Sofreguidão, solidão, sempre a mesma ilusão Acabar o dia numa cama a chorar, desilusão Porquê? Diz-me apenas porquê Silêncios enclausurados numa vida imperfeita Caminhos descruzados em encruzilhadas perfeitas Acordar, adormecer, sonambulismos (...)

Luar

22.01.22, MM
Lua que navegas no meu imaginário Íntimo de mim que percorreres com prazer Trazes à imagem vivências de um homem solitário Ousando um louco amor poder viver   Sigo as curvas do teu corpo dançante Embebido na tua silhueta hipnotizante Contornos corporais em caminhos de perdição Toques promíscuos carregados de paixão Eu aqui, fervilhando de desejo do teu ardente beijo Respiração contida num gemido ofegante Vibrações cósmicas numa dança delirante   Lua que me encaminhas e (...)

Esperanças

14.11.21, MM
  Tudo o que eu queria era contigo estar Uma noite ao luar De mãos dadas e abraçar Perdido no teu olhar (Recomeçar...)   Mais um dia, mais um ano que passou e eu sem estar contigo Tanto que eu lutei para ser mais que um amigo Mas tu foste embora e eu fiquei de coração partido Na impossibilidade de vivermos este amor proibido   Regressei aos lugares que me fizeram apaixonar Sentimentos numa alma em chamas que agora tento serenar Mais uma volta, mais um pensamento do teu terno olhar Imaginári (...)

Momentos de solidão

23.10.21, MM
Pressinto na brisa eletrizante a tempestade a chegar Nuvens aglomeram-se como guerreiros desafiadores Trespassando as altas montanhas com se fossem gladiadores Pequenos remoinhos fazem as folhas vibrar E as afoitas formigas correm, correm sem parar Sabem os segredos do tempo, sabem bem o que se vai passar E eu, contemplo o avermelhado majestoso do céu Que em breve estará coberto do negro véu   A noite escurece no silêncio temerário da solidão  Onde as brumas do deserto invadem o (...)

Silêncio da noite

19.10.21, MM
  Pessoas vivem alegremente de forma solitária Trancando os sentimentos numa presidiária Professam aos sete ventos que são independentes Que não precisam de ninguém, que não estão carentes   Pessoas vivem tentando manter um casamento Falsas aparências numa relação sem alento Fazem-no pelos filhos que são o mais importante O amor ardente, esse, tornou-se insignificante   Pessoas vivem atarefadas entre sonhos e ilusões Enterradas em projetos e novas ambições Sem tempo para (...)

Tela

05.03.21, MM
Por vezes vida é uma tela Pintada em tons de aguarela Cores garridas ofuscando sórdidos pormenores Esboços vivos num palco de atores, senhores Fugindo de destinos traçados, viciados Que em rasgos de tinta foram condenados Sempre vigiados pelo pincel do sentinela   Procuram mover-se através da escuridão Sombras ocultas em mensagens subliminares Avançam destemidos desafiando ódios e rancores Descortinam saídas no meio da solidão   São os grifos do destino nas suas artimanhas Il (...)

Noite

24.11.20, MM
Todas as noite me parecem iguais E já mesmo as estrelas me parecem banais A magia que dantes a noite me trazia Hoje é apenas mais uma noite fria Nevoeiro misturado com maresia   Não… a noite não me é boa conselheira Não me traz a transparência de pensamentos Nem ecoa o teu nome quando grito aos quatro ventos Não… a noite já não é filha de feiticeira Já não me perco nos seus encantos Já nem me iludo com os seus prantos Não… a noite já não é casamenteira É (...)