Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Murais

11.12.23, MM
Eu queria encontrar O amor em todas as avenidas Porque os corpos já só se deleitaram Embriagados na voz rouca dos ardinas Já não há mais sedução Para conquistar um coração Vale o ouro da glória Vendido á tentação Mas isso é uma outra história Que já ninguém quer contar Vivem do amor escrito em murais Partilhado exaustivamente em redes sociais   Eu queria viver Um amor como nos contos de fadas Mas “fadar” virou esquema De qualquer pessoa pouco amada E quem não entra (...)

Ilusão

23.09.23, MM
Já não vejo o manto de estrelas que cobriam o céu Nem o por-do-sol que cobria o teu véu Desacreditei do amor, assim Folhas caídas num qualquer jardim Sem cor nem odor, carregadas de dor Da minha dor, do meu silêncio Mergulhado nas sombras do breu Que invadem a minha alma Nua, crua, sem essência Mera existência Perdida num qualquer lugar Sem versar o verbo amar   Já não vejo a primavera colorida Já não esvoaçam borboletas do meu estômago E eu sem âmago Vivo sem sentir o calor Ape (...)

Tenho que ir

09.08.23, MM
Tenho de ir Tenho de ir ao vazio da minha alma Onde encontro pequenas coisas feitas de nada Fragmentos de raiva que se esfumaçam na minha palma E sem alma,  Vou dizendo ao mundo que espalho a felicidade Mas essa, apenas mora na minha saudade   Fechas os olhos e imaginas o meu rosto Dói menos, penso eu que talvez seja assim Deitada numa cama sem os meus lençóis de cetim Fazendo amor sem sentir este meu frenesim De percorrer o teu corpo, descobrir os teus segredos E em cada beijo (...)

Ilusão de um amor

28.05.23, MM
Vivemos na ilusão de um amor profundo Eloquências de uma história vivida na eternidade Mistérios sagrados que nunca foram revelados Mas quando a noite cai, somes do meu mundo Fantasias desvanecem perante a atroz realidade Que só no mundo dos sonhos somos namorados   Vivemos num fogo alimentado por uma ardente paixão Corpos extasiados que se fundem tantricamente Libido orquestrados nos prazeres carnais Que sensação! Que tesão! Possuir os teus lábios molhados eternamente Fluxos, (...)

Era uma vez...

12.03.23, MM
Esta é a minha história Sem Pedro e sem Inês  Trágico-comédia Sem era uma vez Ele era Miguel Ela era Maria Mas o amor que acontecera Esmoreceu um dia Mundo desmoronado Num manto de ilusão E numa vida construída Viu fugir o seu chão  Mas a vida continuou Mesmo que atormentado Renascido das cinzas  Quando o coração despertou Ele era Miguel Ela tinha nome de flor Que nos nos seus singelos campos Fez renascer um novo amor Um amor impossível Como de Pedro e Inês Difícil de esquecer Contrar (...)

Cafés

05.02.23, MM
Sempre achei que os cafés eram estabelecimentos de tramas, de dramas, de conspirações e secretas paixões. Lugares onde as histórias mais rocambolescas ganham vida para além da própria vida, uma espécie de antecâmara para os acontecimentos que ainda estão para vir, planeados meticulosamente ao pormenor. Espaços feitos de partículas omnipresentes que descodificam até os mais íntimos pensamentos, os olhares mais indiscretos, as reações mais camufladas. Muitas vezes (...)

Prisioneira de ti

10.01.23, MM
Vives prisioneira dos teus medos Das tuas angústias Do teu sofrer Acorrentada ao que não queres viver   Vives atormentada por erros do passado Vivências loucas num tempo acabado E hoje, a paixão é apenas uma ilusão E o amor? Miragem perpetuada na tua dor   Vives prisioneira de um corpo que não quer ser tocado No secreto desejo de ser libertado Ousadias, fantasias, noites em orgias Com o teu amado Que não podes ter Frustrações que te fazem sofrer   Vives prisioneira de um (...)

Somente eu

29.12.22, MM
Já tentei escrever nas linhas do destino o poema perfeito Implorando aos céus para que fosse eu o teu eleito Mas os meus versos não tocaram no teu coração    Já tentei desvendar os segredos da alquimia do amor Transformar em alegria o que era a tua dor Mas a metamorfose era feita apenas de ilusão   Já tentei entender a infindável leveza do ser Entrar no teu mundo para melhor te conhecer Mas fizeste das portas da tua alma a minha prisão   Já desejei preparar-te um jantar à (...)

Ilusão

14.12.22, MM
Quando a noite cai feita de exaustão Corpo moribundo sem qualquer reação Olhos esbugalhados num semblante pesado Memórias fatigadas de mais um dia passado   Mergulho na minha cama vazia e imaculada Ausências de uma história nunca vivenciada  Corpo morno embrulhado em lençóis de flanela Mentiras iludidas nos contos da Cinderela E eu, só penso nela Aqui ao meu lado, deitada serenamente Olhar hipnotizante, sorriso estonteante Suave toque debaixo de um fogo ardente   Quando a (...)

Incerteza

27.03.22, MM
Espreitava o telemóvel a cada momento E a tua imagem não me saía do pensamento Caixa vazia sem nenhuma notificação  Tentando perceber a verdadeira razão   O meu dia ia esmorecendo pouco a pouco E ao anoitecer já me sentia quase um louco Como seria possível teres-te esquecido de mim Dos nossos passeios pelo jardim Onde sonhava com o teu beijo envolvido em lençóis de cetim   Será que tudo foi minha ilusão  Traição perpetuada pelo meu coração  Será que sentia este amor (...)