Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

15 minutos

27.07.21, MM
  15 minutos Foi o tempo que demoraste a responder ao e-mail que te enviei.  Sabes, os meus filhos “gozam” comigo por ninguém fala por e-mail hoje em dia, e no entanto, foi o único sítio onde não me bloqueaste, como se pretendesses deixar uma porta entre-aberta, uma forma pouco ortodoxa de não quebrar definitivamente a nossa ligação. Tinham passados 15 dias e eu não resisti a saber de notícias tuas. Não consigo, é mais forte do que eu. Estranho-me no trabalho, nos filhos, (...)

Ausências, intermitências, delinquências

01.07.21, MM
  Ausências, intermitências, delinquências Divagações vãs do meu estado de espírito Em clausuras trancado aguardando o veredito Qual pecado capital possa ter cometido Nesta ânsia que não me deixa viver Nesta agonia que só me faz sofrer   Como posso eu escrever sem musa de inspiração? De que vale os acordes de uma canção Sons chorados da minha singela viola Em perfumadas serenatas tocadas ao luar Se nem a minha alma consola Se nem a minha música te faz apaixonar   Debruç (...)

Sentimentos escondidos

24.06.21, MM
  Escrevia sem saber se me lias Agora que sei, não sei o que escrever Fico a olhar para a folha branca, vazia Embriagado em ternas lembranças De um coração carregado de esperanças Mas são apenas reflexos da minha propria apatia   Vou tentar escrever nas entrelinhas do amor Sentimentos escondidos nos veios de uma flor Serão apenas revelados na palma da mão A quem nas linhas da vida souber ler a minha sina De uma paixão escondida no coração   E no entanto, aqui estou eu a revelar-me (...)

Ser pai e os seus estereótipos - parte 4 (final)

14.06.21, MM
  (continuação...) O nascimento de um filho é sempre um acontecimento maravilhoso, comovente, de uma beleza e sentimentos ímpares,  e tudo o que aquela pai desejava, é que aquele novo ser viesse com saúde, esperando que tudo corresse bem. Tinha mais vez o privilégio de assistir ao parto. E assim foi, e mais uma vez, aquele pais, lutaram perante todas as adversidades pelo bem estar dos seus filhos. Mas essa luta teve um preço. enquanto lutava e tentava manter a família unida, (...)

Ser pai e os seus estereótipos - parte 3

13.06.21, MM
  (continuação...) Desta vez tudo foi diferente. Já não era mais um “pai de primeira viagem”. Tudo tinha sido planeado cuidadosamente. A caminha, o enxoval, a mochila para a estadia no hospital. Tudo preparado ao pormenor para a chegada de uma princesa. O parto, provocado, foi desta vez assistido pelo pai, um homem carregando um nervoso miudinho mas confiante e garantido que tudo correria bem. E naquele momento, ali estava ele, segurando aquele frágil ser, acabado de nascer, (...)

Ser pai e os seus estereótipos - parte 2

13.06.21, MM
(continuação...) Surgiu de surpresa, num jantar de amigos, o anúncio da chegada da hora de colocar no mundo uma nova vida... Vários sentimentos foram aqueles que assolaram aquele pai naquele preciso momento, desde o desejo de ter um filho nos braços ao receio que alguma coisa pudesse correr mal. E nesse dia, em dia de comemorações desportivas, a viagem até ao hospital foi uma verdadeira aventura. Aquela mãe assim que chegou no hospital, entrou logo em trabalho de parto e quando a (...)

Ser pai e os seus estereótipos - parte 1

12.06.21, MM
  Era uma vez um pai… ou melhor, reza a lenda que em tempos, nos subúrbios da grande cidade, habitava um jovem introvertido e sem grandes ambições. Ainda hoje há relatos, passados de boca em boca, que afirmam que esse jovem não tinha a pretensão de um dia ser pai e que só o facto de proferir essa (proibida) palavra (filhos), já lhe causava urticária. O que ele não sabia era que o que a vida lhe tinha destinado. Os amores e desamores foram surgindo assim como as grandes (...)

Leva o meu coração

18.05.21, MM
Assaltaste a minha vida e eu deixei Perdido neste amor que um dia te dei Roubaste o futuro que para nós imaginei Em mil cacos partidos eu fiquei   Leva o meu coração para onde fores Não preciso dele neste vazio Coloca-o num vaso ao lado das flores Mas leva o meu coração para onde fores   No ar ficaram apenas partículas de nada Nem o sol brilha nem chega a madrugada No meu chão reflexos de roupas nunca tiradas Na memória lembranças de mensagens partilhadas   Partimos seguindo (...)

devaneios

05.05.21, MM
Sentado junto ao rio divago sobre a vida, sobre a natureza. Observo enternecido dois passarinhos que indiferentes a tudo interagem entre si, e eu questiono-me o que eles tanto "falam"? Talvez das aventuras passadas em pleno voo, das maravilhas que observam, dos lugares fabulosos e campos verdejantes que sobrevoam, altivos, senhores do seu destino. Talvez saibam muitos segredos, passagens secretas ou até mesmo dos amantes que se encontram às escondidas. Mas apesar da minha curiosidade, (...)

Fragmento meus

04.05.21, MM
  A  minha vida resume-se a constantes fragmentos do que podia ter sido, excertos de um destino que nunca aconteceu. Talvez nunca tenha compreendido as mulheres… e muito provavelmente nunca as venha a compreender! Ou talvez elas nunca tenham estranhado a minha essência, julgando-me um qualquer vagabundo, saltando de coração em coração. Sempre tive a fama, sem nunca tirar o proveito!  Muitas pessoas passaram por mim mas muito poucas ficaram, e ainda menos aquelas que tocaram no (...)