Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Palavras perdidas

01.04.24, MM
Escrevo nas entrelinhas da alma Sentimentos oriundos do coração E como um bom vinho que se degusta com calma Doo o corpo à liberdade Serenidade, libidinosidade Aromas despertados ao sabor da paixão Numa noite ao luar Numa cama feita de areia do mar   Deixo fluir a tinta em papiros encantados Sílabas estonteantes em corpos enfeitiçados Eloquências perdidas no teu terno olhar Que um dia me fez encantar Sonho adormecido perdido no teu sorriso Fazendo a minha pele arrepiar E no meu (...)

Poesia primaveril

27.03.24, MM
Sinto na minha poesia o aroma primaveril Flores que brotam em cada verso E no encanto do inverso Sinto o coração a palpitar   Pássaros que regressam ao seu eterno lar Prenúncios escritos em histórias de encantar E em cada amanhecer Há um novo rescancer De um novo verso a declamar De amor, pois claro! Que a vida por vezes é feita de dor Mas o que escrevo, versa o verbo amar!   Sinto o sangue a fervilhar em cada poema Perfume exótico que paira no ar Borboletas no estômago virando (...)

Dilemas e poemas

17.03.24, MM
Sou feito de poemas Retratos de uma vida passada Memórias à beira da autoestrada A ver a vida passar   O caminho está tão perto De me salvar da minha salvação Mas estou preso ao coração  De quem não sabe se há de ir ou ficar   E assim prossigo entre poemas Caminhos trilhados entre dilemas Sentimentos enclausurados há muito tempo Fragmentos de mim  Pensamentos envolvidos em lençois de cetim Fantasias que nunca passaram de um contratempo    Embriago-me em mais um poema Sí (...)

Agarra-te à vida

04.03.24, MM
Agarra-te à vida Com a força imaculada do nascer dos tempos E com o vigor das raízes dos Pandos ancestrais   Agarra-te à vida Aos sonhos! sem choros de dor nem lamentos Sem desistir, persistir e insistir nos felizes finais   Agarra-te à vida Aos que amas, aos que nunca te esquecem Às memórias dos sorrisos que nunca padecem   Agarra-te à vida Como pedras preciosas nas mãos de uma criança Que de simples fantasias criam momentos de esperança   Agarra-te à vida Faz correr nas (...)

sede

07.02.24, MM
Ai se tu soubesses Deste calor que arde dentro de mim Deste sufoco que em mim encerra Devaneios perdidos em lençóis de jasmim Assim Loucuras ardentes, proeminentes De quem enterra Sem dó nem piedade No fundo da tua castidade Num rasgo de libidinosidade   Ai se tu souberes Deste meu querer de te possuir De te penetrar nos mais íntimos desejos Eloquências perdidas em mil beijos Ardentes, proeminentes Toques assanhados Corpos entrelaçados Sofreguidão, tesão Arritmias do coração   A (...)

Murais

11.12.23, MM
Eu queria encontrar O amor em todas as avenidas Porque os corpos já só se deleitaram Embriagados na voz rouca dos ardinas Já não há mais sedução Para conquistar um coração Vale o ouro da glória Vendido á tentação Mas isso é uma outra história Que já ninguém quer contar Vivem do amor escrito em murais Partilhado exaustivamente em redes sociais   Eu queria viver Um amor como nos contos de fadas Mas “fadar” virou esquema De qualquer pessoa pouco amada E quem não entra (...)

Cama vazia

01.11.23, MM
Sonhei Como quem vive um sonho de encantar De quem embala num abraço apertado Sentir teu corpo quente amanhecendo ao meu lado Observando hipnotizado o teu doce despertar   Viajei Pelas curvas da tua pele que se fez arrepiada Sorriso de quem sente a chama a querer acender Corpos que se desnudam num leito feito do prazer Lençóis amarrotados numa cama imaculada   Desvendei Nas linhas da minha mão todos os teus segredos Lábios percorrendo os mistérios que se querem revelar Zonas (...)

Desencanto

15.10.23, MM
Perdi-me no encanto que hoje se fez desencanto Naveguei nos mares invioláveis que se tornaram domáveis Infringi as leis do retorno e sem adorno Quebrei as leis da atração Que fiz eu meu coração? Que fiz eu meu coração…   Bati no fundo do meu ser Intermitências alucinantes entre o viver e o morrer Dor que não apazigua, insinua Num rio que corre mas não desagua Mar feito de lágrimas incandescentes Minha alma feita de estrelas cadentes Sem luz, sem rumo delineado Chorando sob (...)

Lar

06.10.23, MM
Lar é onde encontramos o nosso porto de abrigo Lar é um lugar mágico onde tudo faz sentido É ser morada na vida de outro alguém   Lar é ser pôr-do-sol quando a mágoa aperta Lar é ser arrepio quando a paixão desperta É viajar na felicidade de um vaivém   Lar não é apenas casa, é saudade de quem se ama É abraçar o infinito de quem nos quer bem E fazer das estrelas a nossa cama   Lar é abraço, é laço É aconchego, sossego É rasgar os lençóis nas noites de paixão E (...)

Quebrar a sensatez

24.09.23, MM
Não voltes ao lugar onde já foste feliz Ditam as regras da sensatez Mas à razão o coração contradiz Que todas as histórias têm “era uma vez”   Não voltes ao tempo onde habitou a felicidade Memórias de um tempo que avançou e nada restou Mas no desígnio do tempo foi forjada a saudade De um amor eterno que nunca sarou   Não voltes ao que não podes voltar Ecoa no vento a sabedoria ancestral Mas se até os ventos regressam ao mesmo lugar Que há de mal afinal?   O vinho (...)