Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Roda-viva

30.05.22, MM
Já faz algum tempo que simplesmente não consigo vir aqui, nem a este meu pequeno espaço, que também é o meu porto de abrigo, nem espreitar outras leituras que tanto me inspiram, mas recentemente a minha vida tornou-se numa roda-viva de emoções. Se os primeiros meses foram pautados por uma constante rotina frenética, em que os acontecimentos mais relevantes eram pautados pela nova  localização de um jogo ou peça de teatro. Ou seja, tudo em torno dos filhos. Acordar os (...)

Melancolias

19.12.21, MM
Aguardo apático a chegada dos primeiros raios de sol. Sei que romperão por entre as estreitas fissuras dos estores que mantêm o meu quarto escuro, frio, na melancolia das noites vazias de essência, de vida, do amor. Tudo me parece tão previsível, tal qual um qualquer guião escrito a conta-gotas, pausado, reflexo dos eternos dias passados em tons cinzentos. Aconchego-me a um canto da minha imensa cama. “para que tanto espaço?” questiono-me impacientemente enquanto volto a (...)

Ânsias

08.09.21, MM
Embalo no choro amargo que me faz adormecer  Lágrimas derramadas numa cama de infelicidade Solidão, depressão, dor imensa no coração Desejos reprimidos que ouso fazer acontecer Embalados num sono profundo de ilusão E eu, apenas querendo acordar e viver Este amor que me avassala o coração   Embalo mais um pouco em soluços profundos Pregando aos deuses que ouçam as minhas preces Suplico ao universo para ao teu lado ter mais uns segundos E tu? apareces e desapareces E eu? fico na (...)

E os ventos já não sopram...

27.08.21, MM
E os ventos já não sopram Barcos já não vão para o mar Velas já não são içadas Esmorece-se na maresia o olhar   E os ventos já não sopram No horizonte não há poeira no ar Silêncios dormentes que sufocam Almas que não conseguem acalmar   E os ventos já não sopram Já não fazem o balão voar Olhar triste de uma criança  Perdida em sonhos de encantar   E os ventos já não sopram Aprisionados em redemoinhos e furacões Tornados transformados em ilusões Deuses (...)

Ansiedades...

24.03.21, MM
    Aproxima-se vertiginosamente o meu aniversário e no meu pensamento, instalou-se uma uma ansiedade tremenda, quase agoniante, destabilizando emocionalmente todo o meu ser, todo o meu corpo. O dia foi passando e apenas uma única questão assombrou-me: Será que te vais lembrar?  Sim, sei que te lembrarás. Eu conheço-te bem. Sei que pegarás no telemóvel vezes sem conta, mãos trêmulas num nervoso miudinho, provocando aquele tão teu típico mordiscar de lábios, de olhos (...)