Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Abraço

06.09.23, MM
Queria fazer do teu abraço a minha morada Levar-me ao céu, chamar-te de minha amada Permanecer dentro de ti, assim Fazendo amor em lençóis de cetim E depois, abraçar-te, amar-te Permanecer em ti, em mim Aguardando na noite o fim Da espera, e quem me dera Recomeçar Regressar à madrugada Chamar-te de minha amada Reiniciar Renascer Voltar a viver Este amor em ti, sem fim Renascidos num abraço Desatar os nós, fazer um laço Reunir todos os pedaços Reconstruir o coração Sentir a (...)

Madrugada

13.08.23, MM
Esperei por ti na hora marcada Onde os sonhos são possíveis  As estrelas são visíveis E o grilar é o som da madrugada   Queria-te aqui, agora, neste momento Plantarmos nos campos este meu sentimento Vê-lo florescer a cada nova madrugada Onde o silêncio ecoa na noite estrelada   Queria o teu rosto a tapar o sol que me ilumina E no teu sorriso viver o que a vida nos ensina Que dois corações juntos a palpitar é a felicidade Vem nesta madrugada matar-me a saudade   Caminho na (...)

Perdido

23.07.23, MM
Estava tão embriagado na minha lucidez Que nunca percebi que tinha chegado a nossa vez Sonho lindo que nunca virou realidade Quimera perdida que hoje mora na minha saudade De te ter em mim Mergulhados em lençóis de cetim Numa história que eu nunca quis que tivesse um fim Mas que nem sequer chegou a começar Que não virou história de encantar   Estava tão concentrado na minha insensatez Que talvez tenha deixado passar a nossa vez Sentimentos que ficaram enclausurados Em destinos (...)

Ternura

31.05.23, MM
  Queria percorrer os traços do teu rosto Desvendar os histórias que ele tem para contar Mas são segredos bem guardados no teu profundo olhar   Queria serenar as razões do teu desgosto Limpar os motivos que te fizeram desencantar Mas apenas observo as pedras da calçada a chorar   Queria ler os teus lábios em fogo posto O tal fogo ardente que ficou por incendiar Mas só sinto a maresia perdida nas ondas do mar   Queria amar-te nas quentes noites de agosto Levar-te ao céu, (...)

Inseguranças

12.04.23, MM
  Habitam em mim inseguranças que não consigo controlar Sentimentos aprisionados que gostaria de os declarar Mas a timidez não me deixa avançar São aquelas coisinhas que mexem com o coração Que nos deixam indecisos se estamos no inverno ou no verão Suspiros sufocantes Ânsias exaltantes Vida feita de nós Que não consigo desatar E então nós? Queria envolver-te no meu abraço Apertado, mas sem apertos no coração Prender-te com um laço Amarras feitas de paixão Frio na (...)

Perdoem-me...

21.02.23, MM
Perdoem-me se amei em demasia Na ânsia de também querer ser amado Fiz da minha vida uma fantasia Delírios de um amor sonhado   Perdoe-me se me preocupei quando não devia De tanto querer proteger, cuidar e amar Fiquei perdido na densa maresia À espera que alguém me viesse salvar   Perdoe-me se não consegui dar-vos o céu E se apenas viram em mim a noite breu  Se não consegui oferecer-vos as estrelas ou a lua Se apenas vos mostrei o jardim no fundo da rua   Perdoe-me se não vos (...)

Amor e saudade

15.02.23, MM
Está lindo o céu numa noite de tempestade Ventos ciclónicos trespassam o meu ser Que estranho prazer Não te ter e sentir a saudade De te ver De te querer Ao pé de mim Longe de mim Que confusão Que vai no meu coração Num fogo ardente Que não se vê, mas se sente Será paixão Papoilas hipnóticas criando ilusão De felicidade Que estranha sensação  Sentir borboletas a esvoaçar dentro de mim Flores silvestres surgindo no jardim Pássaros voando rumo à liberdade E eu aqui na saudade Que inferno!

Casa na aldeia

02.02.23, MM
Um dia arranjarei uma casa na aldeia Com um alpendre com vista para o mar Chorarei na minha viola o meu amor por ti Versos sentidos de quem te quer amar   Um dia arranjarei uma casa na aldeia Com um baloiço com vista para a serra Serás rosa dos meus campos a florir Sementes brotando na abundante terra   Um dia arranjarei uma casa na aldeia Com uma sacada feita de lençóis de cetim Pecados cometidos em noites de luar Intimidades partilhadas do nosso jardim   Um dia arranjarei uma (...)

Renascer

22.12.22, MM
  E do silêncio se fez grito quando a minha alma se dilacerou Tormentos sofridos em prantos de traição Sentimentos enterrados escondendo a solidão Sonho encantado que um dia se desmoronou Mas a vida continuou   Bati de frente com um novo amor Frio na barriga, borboletas a esvoaçar Noites inteiras imaginando um novo luar Pétalas perfumadas de uma nova flor  Mas foi apenas um sonho de encantar   Renasci em amores do antigamente Químicas e físicas explodindo de prazer Memórias (...)

Pensamentos

06.11.22, MM
No que pensas quando bate a saudade E as luzes da cidade se apagam Onde os sonhos ganham as asas da liberdade E as almas em dormências se embriagam   No que pensas quando te envolves na tua almofada Segredos revelados de uma alma atormentada Que não dorme, chora Em silêncios afogados Ansiando a chegada da madrugada Que não chega, nem a alma aconchega Sentimentos aprisionados em calabouços zarpados Para alto mar, que ninguém pode chegar Inacessível ao que sente o coração Mas ele sente Ele não mente