Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Erotismos

16.09.22, MM
Será que me amas no silêncio da noite Por entre pensamentos divagantes Lusco-fusco no trilho dos amantes Onde cobres o teu corpo desnudado Com um majestoso manto feito de estrelas Suaves toques no teu segredo sagrado Onde até as princesas singelas  Cometem o seu íntimo pecado   Será que me amas no silêncio da noite Quando a lua ilumina o teu corpo desnudado Desejos proibidos ousando a emancipação Sentimentos aprisionados no coração Ansiando a libertação Procurando a satisfação Atr (...)

Lua

09.09.22, MM
Hoje queria-te assim, nua De alma despida, enfeitiçada pela lua Caminhando passo a passo sobre finas areias Até  mim Mergulhando no mar dos meus lençóis Lentamente, libidinosamente, emaranhada nas minhas teias Toques suaves em carícias de cetim  Atração,  sedução,  corpo ardendo de paixão Ofegante respiração, tesão  Eloquências,  turbulências  Orgásmicas luminescências Êxtase total Recriação animal   Hoje queria-te assim, nua Poderosa Artemisa, dona da lua Sens (...)

Águas do rio

28.08.22, MM
Mergulho nas águas que me aconchegamSão sabedoras de todos os segredos universaisChoros e alegrias que no seu leito carregamMurmúrios, lamentos, desejos carnais e outros que taisSaudades perpetuadas que no curso de água são albergadasConhecedoras de histórias intemporaisDos amores que um dia se tornaram proibidosDas lágrimas choradas em terríveis finaisTestemunhas de encontros que se mantiveram escondidosAssim são as aguas do rio, carregadas de cumplicidadeOlhares que se (...)

casual

11.08.22, MM
Deleitam-se em mim desejos ardentes Percorrendo ofegante trilhos carnais Anseios escritos em estrelas cadentes  Delírios eróticos em encontros casuais   Suaves toques despertando volúpias Átomos de paixão colidindo com cometas Explosões orgásmicas e tu já só gemias Vias lácteas de prazer envoltas em borboletas   Abraça-me, agarra-me, deseja-me Abraço-te, agarro-te, desejo-te Pela frente, por trás, tanto faz Fusão corporal no leito proibido Mais um toque e desvendo-te o (...)

Foge comigo

16.06.22, MM
Foge comigo esta noite Por onde os bravios rios descarrilam no mar Atravessaremos as montanhas sagradas Onde os corvos ensaiam o seu cantar Viajaremos entre o ocaso e o amanhecer Pelos eloquentes trilhos das mouras encantadas Desvendaremos as linhas corporais Mistérios ancestrais Em noites de intenso prazer   Foge comigo esta noite De mãos dadas em almas abraçadas Dançando eloquentemente até a música ficar dormente Volúpias despidas sobre o véu sagrado Segredos trocados num beijo (...)

Tentei escrever...

14.02.22, MM
Tentei escrever nas linhas do infinito Palavras que não vinham no dicionário E no entanto, no meu imaginário Fluíam sílabas entrelaçadas em Sânscrito Mantra, Karma, Reencarnação Universo, Matéria, Reconciliação Alma, Corpo, Espírito Evocação, Elevação Transe hipnótico em murmúrios de paixão Corpos desnudados em antros de perdição Luz própria brilhando na escuridão   Tentei escrever no algoritmo temporal Reescrevendo a história jamais contada Dos amantes que (...)

Melancolias

19.12.21, MM
Aguardo apático a chegada dos primeiros raios de sol. Sei que romperão por entre as estreitas fissuras dos estores que mantêm o meu quarto escuro, frio, na melancolia das noites vazias de essência, de vida, do amor. Tudo me parece tão previsível, tal qual um qualquer guião escrito a conta-gotas, pausado, reflexo dos eternos dias passados em tons cinzentos. Aconchego-me a um canto da minha imensa cama. “para que tanto espaço?” questiono-me impacientemente enquanto volto a (...)

Aconchego Outonal

29.09.21, MM
  Na melancolia dos dias que agora passam Finda o entardecer sob as folhas caídas Esvoaçando alegremente levam ternas lembranças Embaladas nas brisas outrora quentes e que agora se esfumaçam Terminando em delírio nas mãos das sorridentes crianças   As graciosas árvores perdem o seu pudor E folha-à-folha vão ficando completamente despidas Cenários perfeitos encantados em cores garridas Tintas desvairadas que na tela são domadas pelo seu criador Numa obra prima carregada de (...)

Meu caminho...

23.08.21, MM
Caminho solitário sobre as pedras que me encantam Calçada entrelaçada que por mim foi chorada Lágrimas doces que os meus olhos decantam Melodias embaladas no reflexo do teu terno olhar Ânsias eloquentes, ardentes Aguardando aquele singelo momento dos teus lábios beijar   Assim passo os meus dias intermináveis Navegando sobre sonhos de mundos admiráveis Declamo por entre-linhas letras de poetas afamados Palavras malditas escritas em papiros enfeitiçados Dores austeras em (...)

Nosso refúgio

27.07.21, MM
  ...estenderia o meu braço e dar-te ia a minha mão. Suave toque sobre a tua pele macia, quente, ardente. Fixaria os meus olhos nos teus, e no silêncio do olhar diria todas as palavras extraídas do fundo do meu coração, sem filtros, sem artimanhas, sem sintaxe ou verificação ortográfica. Desnudaria a minha alma, o meu ser, todo o vibrar do meu corpo extasiado com a tua presença, mostrar-te-ia o palpitar de um coração a fervilhar de amor, de desejo ardente por aquele beijo (...)