Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Insanidades

06.04.24, MM
Acordo estremunhado ao som da chuva que cai copiosamente. Forço novamente o sono mas a espertina já se tinha instalado. No meu pensamento apenas surge a tua imagem e o meu desejo de te ter aqui. Dou voltas na cama como se procurasse o calor do teu corpo, como quem procura a serenidade de um abraço aconchegante, daquele beijo carinhoso. O barulho de um carro a trabalhar na rua interrompe os meus pensamentos e questiono-me que horas serão. Seis da manhã e já há quase uma hora que me (...)

Madrugada

13.08.23, MM
Esperei por ti na hora marcada Onde os sonhos são possíveis  As estrelas são visíveis E o grilar é o som da madrugada   Queria-te aqui, agora, neste momento Plantarmos nos campos este meu sentimento Vê-lo florescer a cada nova madrugada Onde o silêncio ecoa na noite estrelada   Queria o teu rosto a tapar o sol que me ilumina E no teu sorriso viver o que a vida nos ensina Que dois corações juntos a palpitar é a felicidade Vem nesta madrugada matar-me a saudade   Caminho na (...)

Erotismos - Abraço-te por trás

14.06.23, MM
Abraço por trás. Nesse momento quebro todas leis físicas do universo. Ouso desafiar a forte química que existe entre nós.  Tudo começa quando nos encontramos num mero acaso da vida, ou talvez não, talvez estivesse mesmo escrito nas entrelinhas de um destino forjado em papiros mágicos desde o início dos tempos imemoriais. A ideia é bem simples, bebermos qualquer coisa refrescante naquele fim de tarde quente. Mas “simples”, foi sempre um conceito complicado entre nós, e essa (...)

Lágrimas

09.06.23, MM
Em quantas camas terás ainda que dormir Para perceberes que não são feitas de sentimentos São meros aconchegos imaginários que um dia te farão partir Areias movediças onde afogas os teus lamentos   Quantas lágrimas terá o teu rosto que derramar Num coração amargurado que não pára de sangrar Sonhos desfeitos ecoados no teu olhar Quimeras perdidas de quem apenas desejava amar   Em quantos corpos terás ainda que tocar Quantas bocas terás ainda que beijar Quantos orgasmos (...)

Coisas do coração

02.04.23, MM
Escrevo razões que o meu coração desconhece Palavras envoltas na densa maresia Que me amaria? Vida minha que na passagem do tempo desvanece   São amores de outros tempos, de outros lugares Cantigas de amigo que só de amigos não se querem fazer Querem o encanto do carnal prazer Amantes ancestrais que se emaranham em outros mares   Escrevo palavras, sílabas tónicas, atónicas, platónicas Como todos os meus amores parecem ser Mas que posso eu querer Se o meu destino parece (...)

Primavera!

21.03.23, MM
Soam os rufos dos tambores celestiais  Abrem-se as alas aos ventos renascentes Brisas quentes trazendo coloridos ancestrais Brinda-se à chegada dos pássaros valentes   Frenesim de quem fecha os olhos e sente no coração Esperanças renascidas cultivadas na terra nua Noites amenas despertando a paixão Uivos ecoados honrando a sedutora lua   Alegram-se os dias, toldam-se as vontades Roupas caindo brindando à liberdade Brotam da terra aromas emaranhados em leviandades  Libertam-se (...)

Musa de inspiração

08.01.23, MM
A minha poesia já não flui Os meus versos não querem rimar Pareço uma sombra do que um dia já fui Procurando uma musa que me faça inspirar Mas teimo, renasço e volto a acreditar Perdido em melodias de encantar Que me façam esquecer a dor Voltar a acreditar no amor Trilhando de mãos dadas os campos floridos Envolvidos em contos de fadas adormecidos Eu príncipe, tu Cinderela Fiona e  Shrek Que importa, que interessa E no meu sorriso, quero apenas lembrar-me do quanto és bela   (...)

Simples amigo

20.11.22, MM
Há histórias que um dia ficaram por contar Desejos de beijos que não chegaram a acontecer Sentimentos enclausurados por revelar Esperanças renovadas num novo amanhecer   Deixa o manto da noite te aconchegar Sonhos que o coração deseja viver Embriagados no néctar dos deuses Embalados em melodias de encantar Relaxa, vou-te preparar o jantar Luz das velas, lareira acesa É hora de brindar Corpos entrelaçados neste sentimento Eloquências de quem quer amar De alma, de coração Viver (...)

Pensamentos

06.11.22, MM
No que pensas quando bate a saudade E as luzes da cidade se apagam Onde os sonhos ganham as asas da liberdade E as almas em dormências se embriagam   No que pensas quando te envolves na tua almofada Segredos revelados de uma alma atormentada Que não dorme, chora Em silêncios afogados Ansiando a chegada da madrugada Que não chega, nem a alma aconchega Sentimentos aprisionados em calabouços zarpados Para alto mar, que ninguém pode chegar Inacessível ao que sente o coração Mas ele sente Ele não mente