Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Foge comigo

16.06.22, MM
Foge comigo esta noite Por onde os bravios rios descarrilam no mar Atravessaremos as montanhas sagradas Onde os corvos ensaiam o seu cantar Viajaremos entre o ocaso e o amanhecer Pelos eloquentes trilhos das mouras encantadas Desvendaremos as linhas corporais Mistérios ancestrais Em noites de intenso prazer   Foge comigo esta noite De mãos dadas em almas abraçadas Dançando eloquentemente até a música ficar dormente Volúpias despidas sobre o véu sagrado Segredos trocados num beijo (...)

Um amor assim

25.04.22, MM
Amor que cruzas oceanos de paixão  Sentimentos perfumados em papoilas delirantes Escovação borboletas do estômago ao coração  E então? Qual é o mal de sentir estrelas cintilantes Halos luminosos carregados de sensualidade Nebulosas curiosas transportando átomos de paixão Percorrendo corpos celeste em jogos de sedução E no rasto de um cometa, eterniza-se a saudade   Amor que transformas palavras em poesia Sons estridentes em suaves melodias Que heresia! Exclamam os supostos (...)

Ela é prosa, eu sou poesia

03.04.22, MM
Ela é prosa Escrita entrelaçada numa pauta melodiosa Mundos imaginários, coisas do coração Enredos que ganham vida de forma harmoniosa Animismos ou personificação Paradoxos sem comparação Narrativas vividas no desconhecido Talvez do além E eu deslumbrado como ninguém Ela domina a arte Eu, pareço que venho de Marte Ela é prosa Eu sou poesia Brisa do mar onde tudo é fantasia Palavras tontas com que tento rimar Delineando sentimentos que não consigo ocultar Em estado puro, (...)

Queria-te assim

16.03.22, MM
Queria-te assim, menina mulher Divagando no meu pensamento Desejo proibido no meu corpo sedento E eu, dentro de ti, mostrando-te o meu sentimento Quente, ardente, eloquente Penetrado num abraço profundo Perdido em carícias que ouso contigo partilhar Levar-te a lua, mostrar-te o meu mundo Fantasias que só contigo quero realizar   Queria-te assim, menina mulher  De olhos nos olhos nos olhos, abençoados pelo luar  Corpo no corpo, versando o verbo amar Dois corações ritmados no mesmo (...)

Silêncios

03.02.22, MM
Silêncios Murmúrios gritantes de uma alma revoltada Sentimentos perpetuados numa noite de luar Choros desassossegados pela pessoa amada Rasgando compulsivamente do dicionário o verbo amar   Silêncio! Que se cale a voz emanada do coração Sofreguidão, solidão, sempre a mesma ilusão Acabar o dia numa cama a chorar, desilusão Porquê? Diz-me apenas porquê Silêncios enclausurados numa vida imperfeita Caminhos descruzados em encruzilhadas perfeitas Acordar, adormecer, sonambulismos (...)

Nosso refúgio

27.07.21, MM
  ...estenderia o meu braço e dar-te ia a minha mão. Suave toque sobre a tua pele macia, quente, ardente. Fixaria os meus olhos nos teus, e no silêncio do olhar diria todas as palavras extraídas do fundo do meu coração, sem filtros, sem artimanhas, sem sintaxe ou verificação ortográfica. Desnudaria a minha alma, o meu ser, todo o vibrar do meu corpo extasiado com a tua presença, mostrar-te-ia o palpitar de um coração a fervilhar de amor, de desejo ardente por aquele beijo (...)

Longa se torna a espera

13.05.21, MM
Longa se torna a espera Que insiste em desesperar Por um momento tonto Feito ilusão, feito quimera Não é história, não é conto É uma alma a definhar   Longa se torna a espera Dos dias que insistem em não passar Das nebulosas noites sem luar Dos “ses” e dos “quem me dera” Sonhos que não viram realidade Corações que ficam na saudade   Longa se torna a espera Prenúncios de uma vida austera Olhar o oceano sem sentir o cheiro a mar Chuva que cai sem saber se está a molhar Primave (...)

O que ouves no teu silêncio?

11.05.21, MM
  Quando o absoluto silêncio se instala, o que ouves? O palpitar revigorante do coração? Os pensamentos intrínsecos da alma? Ou apenas o vazio? Diz-me… Tu que tens certezas inabaláveis  Portadora de conhecimentos inigualáveis Vivências de sabedorias inimagináveis  Dogmas de verdades invioláveis Quando o silêncio se instala, o que ouves?   Mas será que sabes mesmo?  Como podes saber se não vives o que sinto Se apenas tens a teoria estereotipada Descrita em livros em (...)

Liberdade

30.01.21, MM
Desperto em mim silêncios à muito adormecidos Embalados na trágica melodia do quotidiano Correrias que acabam por afogar os sentidos Vagueando num qualquer centro urbano Hoje dei liberdade aos pensamentos da alma Doces memórias que me devolvem a calma Extravagâncias nos tempos modernos Mergulhados em longos invernos Aprisionados nos próprios infernos   Olhando o horizonte ouço a consciência Que me fala de lugares inimagináveis Águas cristalinas em luminescência Protegidas (...)

Amanhecer

17.01.21, MM
  A alvorada é incessantemente um acontecimento maravilhoso, inspirador e por vezes transcendental. Não significa necessariamente que a noite também não o seja, mas o amanhecer traz uma magia cintilante, resplandecente, fazendo despertar sentidos adormecidos pelo cansaço. Quando os primeiros raios de sol invadem a casa, já à muito a minha alma pressentira a sua chegada. Preparou-se minuciosamente para o seu aparecimento, abrindo todas as portas e  janelas, permitindo a entrada da (...)