Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Insanidades

06.04.24, MM
Acordo estremunhado ao som da chuva que cai copiosamente. Forço novamente o sono mas a espertina já se tinha instalado. No meu pensamento apenas surge a tua imagem e o meu desejo de te ter aqui. Dou voltas na cama como se procurasse o calor do teu corpo, como quem procura a serenidade de um abraço aconchegante, daquele beijo carinhoso. O barulho de um carro a trabalhar na rua interrompe os meus pensamentos e questiono-me que horas serão. Seis da manhã e já há quase uma hora que me (...)

Ficarei...

14.12.23, MM
Voltarei sempre nas noites de luar Alumiando por entre as trevas o teu caminho Luminescências cintilantes quando te vais deitar Viagem pelo mundo dos sonhos em tons de azul-marinho   Regressarei sempre no chilrear dos pássaros cantantes Absorvendo as tuas lágrimas caídas em lençóis dormentes Choros sufocados de um amor ausente Vida sofrida por quem não está presente   Reaparecerei nas noites frias de inverno Quando os cobertores forem insuficientes  Serei o aconchego que (...)

Lar

06.10.23, MM
Lar é onde encontramos o nosso porto de abrigo Lar é um lugar mágico onde tudo faz sentido É ser morada na vida de outro alguém   Lar é ser pôr-do-sol quando a mágoa aperta Lar é ser arrepio quando a paixão desperta É viajar na felicidade de um vaivém   Lar não é apenas casa, é saudade de quem se ama É abraçar o infinito de quem nos quer bem E fazer das estrelas a nossa cama   Lar é abraço, é laço É aconchego, sossego É rasgar os lençóis nas noites de paixão E (...)

Casa na aldeia

02.02.23, MM
Um dia arranjarei uma casa na aldeia Com um alpendre com vista para o mar Chorarei na minha viola o meu amor por ti Versos sentidos de quem te quer amar   Um dia arranjarei uma casa na aldeia Com um baloiço com vista para a serra Serás rosa dos meus campos a florir Sementes brotando na abundante terra   Um dia arranjarei uma casa na aldeia Com uma sacada feita de lençóis de cetim Pecados cometidos em noites de luar Intimidades partilhadas do nosso jardim   Um dia arranjarei uma (...)

Ilusão

14.12.22, MM
Quando a noite cai feita de exaustão Corpo moribundo sem qualquer reação Olhos esbugalhados num semblante pesado Memórias fatigadas de mais um dia passado   Mergulho na minha cama vazia e imaculada Ausências de uma história nunca vivenciada  Corpo morno embrulhado em lençóis de flanela Mentiras iludidas nos contos da Cinderela E eu, só penso nela Aqui ao meu lado, deitada serenamente Olhar hipnotizante, sorriso estonteante Suave toque debaixo de um fogo ardente   Quando a (...)

Espera

14.04.22, MM
Regresso novamente aos silêncios da noite Onde sei que me esperas, debruçada, deleitada  Segredos perpetuados nos lençóis imaculados Carícias ternas embaladas num doce adormecer Em corpos ardentes fundidos num único ser De amor, de paixão Abraços apertados sentindo o coração Palpitações e arritmias de desejo Lábios secos querendo ser molhados  Pela eloquência ardente de um beijo   Regresso todas as noites ao mundo encantado São sonhos e mais sonhos no meu manto imaculado Si (...)

Aconchego Outonal

29.09.21, MM
  Na melancolia dos dias que agora passam Finda o entardecer sob as folhas caídas Esvoaçando alegremente levam ternas lembranças Embaladas nas brisas outrora quentes e que agora se esfumaçam Terminando em delírio nas mãos das sorridentes crianças   As graciosas árvores perdem o seu pudor E folha-à-folha vão ficando completamente despidas Cenários perfeitos encantados em cores garridas Tintas desvairadas que na tela são domadas pelo seu criador Numa obra prima carregada de (...)