Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Manto de ilusão

27.06.24, MM
Vivemos num tempo em que o tempo ficou escasso Maratonas desenfreadas em pequenos nadas Já não ouvimos os apelos do coração  Gritos mudos de quem anseia um abraço  Mas não há tempo… “fica para uma próxima”  Lágrimas derramadas num manto de ilusão    Choramos o tempo perdido atrás da pessoa errada E nesse tempo de luto perdemos a pessoa certa Lamentamos o tempo que não demos à pessoa amada E nesse tempo mais alguém vai embora  E nesse tempo outra alguém namora E (...)

Retrospectiva

12.06.24, MM
Olá meu amor,  Minha princesa  Menina bonita do meu coração  Minha musa de inspiração    Relembro todos os bons momentos partilhados Do teu sorriso que me fazia encantar Das promessas de ao pôr do sol caminhar  Da ânsia dos teus lábios beijar De viver o velho sonho de sermos namorados   Mas hoje desisto de ti Não por te deixar de amar Mas em retrospectiva eu penso  Que não te posso mais desencaminhar Que foste a minha mais linda história de encantar   Versos já não (...)

Esmorecer

06.02.24, MM
Vivemos entre o ápice e o eterno Onde os silêncios se propagam no infinito  Aguardamos serenamente aquele abraço fraterno Que nos faça esquecer o inferno Que é viver num espaço circunscrito   Rogamos aos deuses do Olímpo impiedoso A luz que nos acalenta a íntima esperança E como numa brincadeira de criança Pedimos às estrelas aquele desejo majestoso   E num ápice vemos a vida por nós passar Memória enrugadas do que nunca aconteceu Pele pálida numa alma cálida Sonhos (...)

Noite

19.11.23, MM
Carrego na noite densa as ânsias ancestrais Murmúrios de uma alma em constante trepidação Questiono o universo desta minha agitação Mas sem solução Viajo nas minhas lembranças imemoriais   Sigo os trilhos dos meus pensamentos E em segredo vou escutando os meus lamentos Ecos de um passado que ficou por viver Densa maresia que ofusca o meu olhar Serão lágrimas? Serão gotas do mar? Serão apenas as estrelas a chorar?   A noite adensa-se na sua longitude As luzes da cidade (...)

Cama vazia

01.11.23, MM
Sonhei Como quem vive um sonho de encantar De quem embala num abraço apertado Sentir teu corpo quente amanhecendo ao meu lado Observando hipnotizado o teu doce despertar   Viajei Pelas curvas da tua pele que se fez arrepiada Sorriso de quem sente a chama a querer acender Corpos que se desnudam num leito feito do prazer Lençóis amarrotados numa cama imaculada   Desvendei Nas linhas da minha mão todos os teus segredos Lábios percorrendo os mistérios que se querem revelar Zonas (...)

Lar

06.10.23, MM
Lar é onde encontramos o nosso porto de abrigo Lar é um lugar mágico onde tudo faz sentido É ser morada na vida de outro alguém   Lar é ser pôr-do-sol quando a mágoa aperta Lar é ser arrepio quando a paixão desperta É viajar na felicidade de um vaivém   Lar não é apenas casa, é saudade de quem se ama É abraçar o infinito de quem nos quer bem E fazer das estrelas a nossa cama   Lar é abraço, é laço É aconchego, sossego É rasgar os lençóis nas noites de paixão E (...)

Abraço

06.09.23, MM
Queria fazer do teu abraço a minha morada Levar-me ao céu, chamar-te de minha amada Permanecer dentro de ti, assim Fazendo amor em lençóis de cetim E depois, abraçar-te, amar-te Permanecer em ti, em mim Aguardando na noite o fim Da espera, e quem me dera Recomeçar Regressar à madrugada Chamar-te de minha amada Reiniciar Renascer Voltar a viver Este amor em ti, sem fim Renascidos num abraço Desatar os nós, fazer um laço Reunir todos os pedaços Reconstruir o coração Sentir a (...)

Agosto

02.08.23, MM
Hoje, apetecia-me sentir o teu doce abraçar Como quem abraça a eloquência das noites perdidas Efervescências que fazem o meu coração suspirar Noites quentes, amores ao luar Cabelos ao vento sentindo a brisa do mar Respirações ofegantes em almas despidas Histórias vividas em vielas escondidas   Hoje, apetecia-me invadir as saliências do teu corpo arrepiado Corpos entrelaçados em melodias de encantar Danças eloquentes em desejos que se querem libertar “mais duas bebidas por (...)

Erotismos - Abraço-te por trás

14.06.23, MM
Abraço por trás. Nesse momento quebro todas leis físicas do universo. Ouso desafiar a forte química que existe entre nós.  Tudo começa quando nos encontramos num mero acaso da vida, ou talvez não, talvez estivesse mesmo escrito nas entrelinhas de um destino forjado em papiros mágicos desde o início dos tempos imemoriais. A ideia é bem simples, bebermos qualquer coisa refrescante naquele fim de tarde quente. Mas “simples”, foi sempre um conceito complicado entre nós, e essa (...)