Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Ser pai e os seus estereótipos - parte 3

13.06.21, MM

Ser pai e os seus esteriotipos parte 3 cópia.jpg

 

(continuação...)

Desta vez tudo foi diferente. Já não era mais um “pai de primeira viagem”. Tudo tinha sido planeado cuidadosamente. A caminha, o enxoval, a mochila para a estadia no hospital. Tudo preparado ao pormenor para a chegada de uma princesa. O parto, provocado, foi desta vez assistido pelo pai, um homem carregando um nervoso miudinho mas confiante e garantido que tudo correria bem. E naquele momento, ali estava ele, segurando aquele frágil ser, acabado de nascer, dando em plenos pulmões as boas vindas ao mundo. 

O nascimento de mais filho criava muita confusão em algumas pessoas, e como habitualmente, as opiniões mais estapafúrdias: “três filhos? dois chegavam bem!; "vocês devem andar atrás dos subsídios!"

Ser pai de menina trouxe novos desafios, acabando por adquirir uma nova sensibilidade e um novo olhar sobre as coisas. Claro que ver um pai carregar uma bolsa cor-de rosa ou brincar às bonecas em público, eram ações que não condiziam aos estereótipos da figura paternal. Curiosamente, era essa mesma sensibilidade, que tornava aquela relação tão especial, e que naturalmente era apelidada como sendo a princesa do papá! 

Enquanto a relação com os filhos estava em bom plano, já noutros campos sentia que muitas coisas não estavam bem, mas continuo a acreditar que tudo não passaria de uma fase.

O facto é que de alguma maneira isso acabou por também ajudar a abalar a estabilidade que a todo o custo carregava aos ombros, e em conjunto com a péssima conjuntura económica, acabaram ambos no desemprego. De repente, aquele pai, com três filhos, viu o mundo a desmoronar-se. Lentamente assistiu ao afastamento dos coleguinhas dos filhos que já não os convidavam para as festinhas, viu as portas fecharem-se a cada nova tentativa de resolver as coisas. Foi certamente o período mais complicado vivido por aquele pai, vivido em noites de angustias, de medos de perder o que considerava o mais sagrado, a sua família. Apesar de tudo, de todas as dificuldades, os seus filhos continuavam a ser alunos exemplares, crianças meigas e que compreendiam a situação em que estavam. E foi muito graças ao amor dos seus filhos que  esse pai nunca desistiu de tentar, frequentando todas as formações financiadas que conseguia, negociando cada dívida que surgia, mas acima de tudo, tentando manter a estrutura familiar inabalável, apesar de sentir os abutres a rondar, à espera que falhasse, desejando que surgisse um momento de fraqueza para desferirem o golpe fatal. Pequenas mas importantes ajudas foram surgindo e é  no meio desse caos que surge a notícia. Para muitos pessoas, podia ser uma terrível notícia, mas para aquele pai era sempre uma notícia maravilhosa! Vinha mais uma menina a caminho!

(continua...)

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.