Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Desde quando

28.07.22, MM
Desde quando é que tens medo Desde quando o nosso amor virou segredo Desde quando perdemos a inocência E os mais puros sentimentos viraram indecência   Desde quando achas que universo nos separou Se as nossas almas se continuam a amar Os deuses dizem que a nossa história ainda não acabou E nas estrelas está escrito que juntos vamos ficar   Desde quando deixei de fazer parte dos teus pensamentos E jogaste as nossas promessas de amor aos sete ventos Murmurávamos ao tempo que juntos (...)

No meu colo

24.07.22, MM
  Senta-te no meu colo e diz que me desejas Beijo-te o pescoço enquanto latejas Viaja no meu corpo sei que o almejas Vendo-te os olhos, não quero me me vejas   Imagina, a minha mão na tua “menina” Dedos atrevidos em movimentos circulares Universo de sentidos em prazeres lunares Respiração ofegante, calor sufocante Roupa perdida, alma despida Desejo carnal, volúpia magistral E mais um beijo numa dança sensual   Não te quero desse jeito, põe-te assim, de costas para mim! Que (...)

Olhos castanhos

16.07.22, MM
  Um dia seremos meros estranhos Sentados numa paragem de autocarro Vais ignorar os meus olhos castanhos Que um dia tanto quiseram-te amar E que hoje, são apenas memórias de barro   Um dia seremos meros estranhos Passeando numa qualquer avenida Corpos ignorando antigos desejos Vivências esquecidas de profundos latejos Guardados no fundo de uma arca esquecida   Um dia seremos meros estranhos  Vagueando num areal junto ao mar Corpos desnudados libertando erotismo Paixão ardente sem (...)

Foge comigo

16.06.22, MM
Foge comigo esta noite Por onde os bravios rios descarrilam no mar Atravessaremos as montanhas sagradas Onde os corvos ensaiam o seu cantar Viajaremos entre o ocaso e o amanhecer Pelos eloquentes trilhos das mouras encantadas Desvendaremos as linhas corporais Mistérios ancestrais Em noites de intenso prazer   Foge comigo esta noite De mãos dadas em almas abraçadas Dançando eloquentemente até a música ficar dormente Volúpias despidas sobre o véu sagrado Segredos trocados num beijo (...)

Pauta musical

09.06.22, MM
Solto os acordes que prendem-me à vida Dedilhados em choros de melodias teimosas São lágrimas que no coração perfuram Sentimentos perdidos de uma vida sentida Entrelaçados nas cordas de tardes chuvosas Sonidos aleatórios que no tempo perduram   Viajo nas intermitências de uma pauta musical Caminhos tortuosos que me levam à tua essência Rendo-me aos encantos do canto primordial E no despir da alma, perco a decência Que eloquência  Visões extraordinárias perpetuadas no meu olhar (...)

Um amor assim

25.04.22, MM
Amor que cruzas oceanos de paixão  Sentimentos perfumados em papoilas delirantes Escovação borboletas do estômago ao coração  E então? Qual é o mal de sentir estrelas cintilantes Halos luminosos carregados de sensualidade Nebulosas curiosas transportando átomos de paixão Percorrendo corpos celeste em jogos de sedução E no rasto de um cometa, eterniza-se a saudade   Amor que transformas palavras em poesia Sons estridentes em suaves melodias Que heresia! Exclamam os supostos (...)

Recomeçar

18.04.22, MM
Ficamos presos ao quotidiano Conformados com um destino há muito traçado  Acreditando piamente que tudo estava destinado… Destinado? Que engraçado! Logo que não fico conformado   Tento libertar-me do sonambulismo melancólico Que me corrói a alma dormente Pensamentos abstratos roçando o caótico Paralisando a minha mente, que mente Sorrateiramente Mas a mim não me engana, é insana Sou dono de mim, do meu destino Livre arbítrio carregado de possibilidades De novas oportunidades Timonei (...)

Ela é prosa, eu sou poesia

03.04.22, MM
Ela é prosa Escrita entrelaçada numa pauta melodiosa Mundos imaginários, coisas do coração Enredos que ganham vida de forma harmoniosa Animismos ou personificação Paradoxos sem comparação Narrativas vividas no desconhecido Talvez do além E eu deslumbrado como ninguém Ela domina a arte Eu, pareço que venho de Marte Ela é prosa Eu sou poesia Brisa do mar onde tudo é fantasia Palavras tontas com que tento rimar Delineando sentimentos que não consigo ocultar Em estado puro, (...)

Queria-te assim

16.03.22, MM
Queria-te assim, menina mulher Divagando no meu pensamento Desejo proibido no meu corpo sedento E eu, dentro de ti, mostrando-te o meu sentimento Quente, ardente, eloquente Penetrado num abraço profundo Perdido em carícias que ouso contigo partilhar Levar-te a lua, mostrar-te o meu mundo Fantasias que só contigo quero realizar   Queria-te assim, menina mulher  De olhos nos olhos nos olhos, abençoados pelo luar  Corpo no corpo, versando o verbo amar Dois corações ritmados no mesmo (...)

Tentei escrever...

14.02.22, MM
Tentei escrever nas linhas do infinito Palavras que não vinham no dicionário E no entanto, no meu imaginário Fluíam sílabas entrelaçadas em Sânscrito Mantra, Karma, Reencarnação Universo, Matéria, Reconciliação Alma, Corpo, Espírito Evocação, Elevação Transe hipnótico em murmúrios de paixão Corpos desnudados em antros de perdição Luz própria brilhando na escuridão   Tentei escrever no algoritmo temporal Reescrevendo a história jamais contada Dos amantes que (...)