Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fragmentos de Miguel Moreno

recordações, paixões, aventuras de quem já viajou por todo o país... a vida é bela

Ainda te espero

14.08.22, MM
Ainda te espero em todas as madrugadas Despertar-te num beijo de noites suadas Abraçar-te, acarinhar-te, fazer o tempo parar Provocar-te um sorriso só para te contemplar O quanto és linda Sensualidade pura que não finda   Ainda te espero em todas as madrugadas Brisa do vento no meu corpo sedento Do teu corpo querer tocar, acariciar Viajarmos pelo mundo sem sair do lugar E aí permanecermos, no teu colo, no meu abraço entrelaçar os dedos, fazer-mos um laço Corpos fundidos num suave (...)

Cor-de-mel

12.08.22, MM
Tento transpor sentimentos para uma folha de papel Palavras aprisionadas que tento libertar Mas perco-me nos teus olhos cor-de-mel   Tento pintar a tua imagem numa tela colorida Traços fluidos que me fazem encantar Mas perco-me nos teus olhos cor-de-mel   Tento imaginar-te numa praia despida Carícias de fazer os sentidos despertar Mas perco-me nos teus olhos cor-de-mel   Tento fazer do teu coração a minha morada Quem sabe, um dia, seres minha namorada Mas perco-me nos teus olhos (...)

casual

11.08.22, MM
Deleitam-se em mim desejos ardentes Percorrendo ofegante trilhos carnais Anseios escritos em estrelas cadentes  Delírios eróticos em encontros casuais   Suaves toques despertando volúpias Átomos de paixão colidindo com cometas Explosões orgásmicas e tu já só gemias Vias lácteas de prazer envoltas em borboletas   Abraça-me, agarra-me, deseja-me Abraço-te, agarro-te, desejo-te Pela frente, por trás, tanto faz Fusão corporal no leito proibido Mais um toque e desvendo-te o (...)

Simples amigo

07.08.22, MM
Engulo palavras que não te consigo dizer Sentimentos aprisionados receando te perder Vagueio no vazio divagando em mensagens ocas Que até ti faço chegar em palavras loucas Mas nada faz sentido E eu aqui, perdido Insistir, desistir Continuar, partir E eu já nem sei o que estou a sentir   Queria estar contigo, agora, neste momento Deslumbrar-me no teu olhar que me apaixona Que me aprisiona Juntos abraçados sentindo a brisa do vento Corpo quente, desejo eloquente Carícias perdidas em (...)

Desde quando

28.07.22, MM
Desde quando é que tens medo Desde quando o nosso amor virou segredo Desde quando perdemos a inocência E os mais puros sentimentos viraram indecência   Desde quando achas que universo nos separou Se as nossas almas se continuam a amar Os deuses dizem que a nossa história ainda não acabou E nas estrelas está escrito que juntos vamos ficar   Desde quando deixei de fazer parte dos teus pensamentos E jogaste as nossas promessas de amor aos sete ventos Murmurávamos ao tempo que juntos (...)

No meu colo

24.07.22, MM
  Senta-te no meu colo e diz que me desejas Beijo-te o pescoço enquanto latejas Viaja no meu corpo sei que o almejas Vendo-te os olhos, não quero me me vejas   Imagina, a minha mão na tua “menina” Dedos atrevidos em movimentos circulares Universo de sentidos em prazeres lunares Respiração ofegante, calor sufocante Roupa perdida, alma despida Desejo carnal, volúpia magistral E mais um beijo numa dança sensual   Não te quero desse jeito, põe-te assim, de costas para mim! Que (...)

Olhos castanhos

16.07.22, MM
  Um dia seremos meros estranhos Sentados numa paragem de autocarro Vais ignorar os meus olhos castanhos Que um dia tanto quiseram-te amar E que hoje, são apenas memórias de barro   Um dia seremos meros estranhos Passeando numa qualquer avenida Corpos ignorando antigos desejos Vivências esquecidas de profundos latejos Guardados no fundo de uma arca esquecida   Um dia seremos meros estranhos  Vagueando num areal junto ao mar Corpos desnudados libertando erotismo Paixão ardente sem (...)

Silêncios

29.06.22, MM
Silêncios Que na alma fazem gritos  Murmúrios de um vazio atroz  Suplícios na casa dos malditos Que no vácuo projetam a sua voz   Silêncios  De quem espera e desespera O passar dos dias avante Sem fantasia, sem quimera Sem um abraço reconfortante    Silêncios  Numa tela em tons de branco Memórias perdidas ao vento Contempladas num qualquer banco Numa vida sem qualquer alento   Silêncios  Feitos de revoltas contidas  Escritas em papiros de amarguras Sem asas para voar (...)

Já tudo fiz...

28.06.22, MM
Já dei amor a quem nunca o mereceu Já sofri por quem um dia se arrependeu Já fugi de quem me amou Já esperei por quem nunca voltou   Já me afoguei em lágrimas derramadas Já desesperei por palavras trocadas Já chorei em noites estreladas Já desiludi mulheres por mim apaixonadas    Já quis fazer amor a ver o mar Já desejei-te em noites de luar Já sonhei que me podias amar Já ousei perder-me no teu olhar   Já tudo fiz sem nada realizar Mar de emoções feito de ilusões Des (...)

Amor ou amizade

22.06.22, MM
Pode a amizade esconder um amor Sentimentos vividos entre o frio e o calor Perder-se no vácuo sem saber a razão Palpitações, arritmias, coisas do coração Pode o amor ser apenas amizade Viver o dia-a-dia sem saber o que é a saudade Relações feitas sem grandes emoções Procriar sem conjugar o verbo amar Podem o amor e a amizade viver em harmonia Corpos entrelaçados na mesma sintonia Abraçar em silêncio quando o mundo quer desabar Segurar as lágrimas quando se tem vontade de chorar (...)